Contos Verídicos no Face
Disque Sexo
Disque Sexo
Categorias

A Ninfeta e o Cinquentão I

Disque sexo

Bom, meu nome � Kelly e o caso aqui relatado aconteceu h� 18 anos atr�s. Eu tinha dezesseis aninhos e era bem parecida com a cantora que leva meu nome, por�m eu tinha duas vezes mais busto!! Na �poca isto me tornava muito t�mida e eu procurava esconder o m�ximo que podia os meus mel�es!! Certo dia, meu pai pediu que eu fosse at� a casa que quer�amos alugar ou vender para apanhar as correspond�ncias. Chegando l�, notei um Escort XR-3 estacionado bem em frente. Meu sexto sentido logo me deixou alerta. Entretanto o port�o estava trancado. Me aliviei. Ao tentar abrir a porta da frente escutei a voz da minha m�e e de mais algu�m. Ambos falavam e riam. Parei e sem me deixar notar fiquei escutando pra saber quem era o homem que estava com minha m�e. N�o podia ser um futuro cliente. N�o do modo como falavam e riam. Em poucos segundos ouvi que o dialogo era de pura sacanagem. N�o vou aqui detalhar, por�m na �poca era tudo novo pra mim, e o susto me fez ficar abobalhada. P� ante p�, cheguei at� a sala de estar, onde tinha um imenso sof�, que tinha restado desde que minha v� tinha morrido, h� dois anos atr�s. Lentamente fui olhando pra dentro da onde vinha os risos e gemidos. A cena era fant�stica. Minha m�e com as duas m�os segurando os cabelos estava acocorada, fazendo movimentos circulares em cima da virilha de um homem! Ele tinha uma das m�os em sua anca e o outra acariciava um dos seios, que tinha me dado de mamar! De repente, ele alcan�a a nuca dela com a m�o e a traz para beijar-lhe a boca. Nisso as belas n�degas de minha m�ezinha se elevam e vejo estupefata uma rola grossa e imensa deslizando pra fora do cuzinho da mam�e!! Deus! claro que eu j� tinha ouvido em sexo anal, mas sempre soube que era dolorido, afinal eu j� tinha dado alguns sarros com meu primeiro e �nico namoradinho, que tinha terminado comigo depois de uma semana de namoro. Bom, ali estava minha bela m�e exclamando entre suspiros o quanto era maravilhoso sentir toda aquela rola se agasalhando de volta em seu cuzinho!!! Eu comecei a me sentir excitada, mas o conflito de saber que era minha m�e que estava traindo meu pai, me deixava perto das l�grimas, pois nunca imaginei que eles pudessem se separar um dia. Assim, com a bucetinha pingando de tez�o e o rosto molhado por l�grimas, sorrateiramente me retirei. Fui pr� col�gio, e fui chamada aten��o por n�o prestar aten��o � aula. Como podia? A vis�o daquela coluna de carne sendo engolida pelas gorduchas e perfeita bunda da mam�e, me deixava totalmente alheia a qualquer outra coisa! No intervalo fui ter com minhas amigas, mas dessa vez procurei as que eram consideradas “galinhas” pra escutar o papo e fazer algumas perguntas. Depois de certo tempo come�aram a falar de sacanagem, e Marisa confessou que tinha dado o cuzinho pela primeira vez, ontem depois das aulas e aqui na escola! N�o quis dizer o nome do professor! Raquel ent�o disse que j� praticava sodomia h� algum tempo, mas o �nico garoto que ela gostou de dar fora seu irm�o! Atualmente, um dos gerentes da firma da tia dela era o dono de seu cuzinho! Fiz a tradicional pergunta se do�a muito. Elas me responderam que era s� uma quest�o de costume e dependia do traquejo do primeiro que me descaba�asse o anelzinho! Elas disseram tamb�m que comedor de cuzinho sabe antes fazer um agradinho prolongado, principalmente com a l�ngua! E que o mais maravilhoso � sentir uma l�ngua se empurrando e se contorcendo um pouco j� dentro do cuzinho!! Meu Deus! Mil imagina��es!! Mil l�nguas em meu anus!! Eu disfar�ava mas estava fren�tica. Procurei por Marcelo, eu �a dar pra ele e conquistar um namorado! Seria maravilhoso! Eu adivinhava o que minha m�e sentia sendo enculada e agora eu tamb�m seria! N�o havia mais medo, s� ousadia de querer sentir uma rolona se enfurnando meu tunelzinho anal como o focinho de nosso cachorro nos cheirando! Ainda bem que existia Marcelo, sen�o eu iria tentar at� com Rubi�o, nosso dogalem�o! V� o Marcelo e disse pra ele me telefonar. Ele fez cara de pouco caso e isso me magoou!! Eu lhe disse que era importante, ele respondeu que assim que pudesse me telefonaria. Babaca!! Mesmo assim fiquei na esperan�a. Peguei minha lambreta e fui pra casa. Antes de entrar na garagem, quase morri de susto!! O mesmo XR-3 estava l� dentro! O terror me invadiu, ser� que minha m�e estava sendo assaltada pelo amante?!! E talvez esperando toda a fam�lia chegar para serem seq�estrados!! Enquanto estava nesses devaneios, vejo meu av�, que agora mora conosco desde da morte da vov�, se dirigindo para o port�o da garagem pra abri-lo!! Ele me viu e abriu aquele sorriso acolhedor que tanto eu amava e abrindo os bra�os para me abra�ar perguntando o que eu achava do carro novo que ele tinha comprado!! Tive um leve desfalecimento e meu av� me aparou! Ent�o era ele quem estava enrabado minha m�ezinha??!! Eu tremia enquanto meu av� passava os bra�os em volta de meus ombros e perguntava o que eu achava de seu Escort amarel�o! Eu com voz tremula balbuciava que sim. Seu Bruno, meu av�, notou minha afli��o e disse que era melhor entrarmos. Minha m�e encontrava-se sentada de lado em cima das pernas com os bra�os em volta do pesco�o de meu paizinho, sendo tremendamente am�vel com ele!! Como �ramos felizes! Beijei a ambos e disse que �a tomar um banho! Resumindo, embaixo do chuveiro, consegui gozar dedilhando meu grelinho e com tr�s dedos totalmente enfiados e dilatando meu cuzinho!! A indisposi��o inicial foi logo vencida pela minha ousadia j� no segundo dedo que consegui deslizar pr� dentro do meu anus. Quando consegui com algum esfor�o e dorzinha introduzir o terceiro dedo at� a metade deles, eu parei de respirar um instante at� me acostumar e sentir o desconforto passar e em seguida, lentamente deslizei pr� fora um pouco meus tres dedos,passei a empurr�-los lentamente de volta pr� dentro do meu cuzinho! Meu clit�ris era friccionado como nunca havia sido antes, enquanto agora, o vai-vem apenas com dois dedos se tornava mais din�mico!N�o sei porque, mas perto do meu gozo me deu uma imensa vontade de me dilatar mais ainda e ent�o juntei meu dedo m�dio aos outros dois e os enfiei o mais fundo que pude pr� dentro do meu tubinho anal!! Gozei como louca, que cheguei a emitir um grito! Maravilhoso! Eu havia me auto-deflorado analmente (assim pensava eu!). A boquinha do meu anelzinho anal estava sens�vel quando sentei pr� jantar com a fam�lia. Depois, quando est�vamos todos vendo tv, como sempre me av� se retira pr� varanda, pr� ler alguma coisa. Desta vez por�m, ele se dirigiu para a garagem e me chamou pr� ir junto. Neste momento mil pensamentos me confundiam. Eu amava Marcelo. Eu queria dar pr� ele! No entanto vendo agora aquele homenzar�o, que eu sentia que era um macho que sabia tratar e dominar uma f�mea, ali me chamando pr� ir ver o carro dele, minha xaninha se molhou ao mesmo tempo meu cuzinho ardia maravilhosamente! L�gico, jamais eu pensaria em dar pr� meu av�! ERa pura loucura!! Pecado!!Era Marcelo quem tinha que me comer!! Mas, mundo louco, eu queria a rola de meu av�zinho me dilatando meus buraquinhos!!Assim, vestida com um discreto shortinho e uma blusa que teimava em n�o esconder meus imensos seios, calcei minhas sand�lias e corri atr�s dele! Bruno era alto, nem gordo nem magro. Tinha 56 anos, era professor e muito popular com a garotada. Eu adorava ele. Eu me sentia uma super-girl por ter dois her�is dentro de casa! Ele disse que ir�amos dar uma volta. Fomos para orla da praia. Paramos numa barraquinha para tomarmos �gua de coco. Ele me perguntava sobre minhas notas e o papo acabou sobre meu namoro com Marcelo. A�, me senti t�o magoada que comecei a chorar baixinho. Ele disse que era melhor voltarmos pr� casa, enquanto me confortava dizendo que eu era muito especial e bonita! E que eu seria sua namoradinha!! A escutar aquilo, mesmo sabendo que era brincadeirinha, me derreti toda! E ent�o meu instinto de f�mea conquistadora lentamente foi aflorando e respondi que aceitava ser at� mais que sua namoradinha! E dei uma risadinha que me pareceu ser sensual!! Deus! Eu estava me transformando sem me controlar!! Meu v� pareceu n�o perceber. Eu senti que era o momento e exclamei que estava com calor, enquanto distraidamente desabotoava quatro bot�es da blusa, expondo meus bojos juvenis, cor de p�ssego, prontos para serem mamados. Meu av�, disfar�adamente dava olhares para meu busto enquanto tentava conversar. Eu lhe perguntei se beijar de l�ngua era mal. Ele n�o sabia o que responder. Perguntei ent�o se eu podia deixar Marcelo me beijar os seios!! Bruno, parando no sinal, me encarou e disse que ele n�o era pessoa pra me orientar sobre isso! Eu respondi, que entendia, por�m ele era a pessoa certa pra me ensinar essas coisas!! O carro morreu com o susto que meu vozinho levou! Antes que ele se recobrasse, apalpei sua coxa (louca, louca eu estava me sentindo!) e disse que queria ir pr�m lugar discreto! Falei isso firmemente, lhe encarando (n�o sei donde saiu tanta coragem!)Bruno se virou pr� mim enquanto ligava o carro e partia e perguntou zangadamente se estava louca! N�o desviei o olhar dele e com voz meio furiosa disse-lhe que tinha visto ele com minha m�e naquela manh�! O carro morreu de novo! Esperei dessa vez ele se acalmar e ordenei que fossemos para um lugar que eu sabia que ele podia me agarrar! L�, sem que ele esperasse, pus em pr�tica o beijo chup�o que tinha aprendido a dar semanas antes. Bruno, agora calmo, respondeu ao meu beijo e foi me dominando com a boca e com sua l�ngua serpeteante, que eu imaginava como seria em redor de meu anelzinho!! Eu praticamente amoleci enquanto o extase j� come�ava a ferver dentro da minha xaninha, em volta de meus seios e mamilos, do meu cuzinho intumescido devido minhas dedadas no chuveiro! Bruno descolou seus l�bios dos meus e iniciou uma conversa��o de como dever�amos nos comportar, e juramos segredo eterno. Assim, naquele momento tive nas m�os por um longo tempo aquela piroca maravilhosa pela primeira vez, enquanto meu avozinho acariciava com maestria minha xaninha e meu grelinho!! Minha m�o quase n�o circulava aquela grossura! Bruno, meu amado av�, macho da mulher do filho dele, me beijava delicadamente, quase me sufocando com sua l�ngua se digladiando com a minha me fazendo ter outro tremendo gozo naquele dia!! Eu lhe disse que queria que ele me ensinasse a chupar sua piroca e j� baixando a cabe�a pr� seu colo, quando vimos um carro da policia se aproximando. Resolvemos voltar pra casa, porque tamb�m j� era hora!! Eu estava fren�tica e tentava esconder esse comportamento, por isso fui logo pr� meu quarto. Me masturbei duas vezes pra baixar meu fogo. Mas n�o adiantava! Duas horas depois, eu tentava pegar no sono, quando notei a porta do quarto ser lentamente aberta, e aquele deus de cabelos grisalhos veio se sentar na beira da cama, me acariciando o rosto, os cabelos e depois me ajudando a tirar a camiseta que me servia de camisola, me deixando completamente nua!!Um pouca atemorizada mais cheia de tez�o lhe perguntei se n�o era melhor deixarmos para irmos num motel no dia seguinte. V� Bruno me respondeu que papai e mam�e estavam fazendo o qu� n�s ir�amos fazer agora!! Fui novamente dominada pela aquela boca colada na minha enquanto meus seios foram suavemente esmagados por aquelas m�os enormes!! Meus seios eram t�o cheios que mesmo sua enorme m�o n�o conseguia fechar em volta!! Chup�es, mordidinhas mil em meus mamilos foram o suficiente para que eu, uma ninfetinha de dezesseis aninhos agarrasse um homem m�sculo de 56 anos pelos cabelos e direcionasse sua boca para a minha xana sedenta por beijos e chup�es!! Parei de contabilizar quantos maravilhosos orgasmos eu fui premiada com boca de meu vozinho!! Eu me contorcia feito uma serpente e meus gritos eram abafados mordendo a base do meu dedo polegar!! Bruno agora meu macho queria sua por��o do saque!! Enquanto eu me recuperava, ele veio sentar-se quase em cima de meus rosados seios. E confortavelmente sem deixar seu peso me sufocar, colocou sua imensa bega, com aquela cabe�orra derramando pr�-gozo, entre o vale de meus fartos seios!! Eu automaticamente, espalmando ambas as m�os em ambos os bojos lateralmente enluvei quase que completamente aquela coluna de carne e de meus desejos!! Bruno suspirou fundo enquanto sua tora era massageada pelas carnes de meus lindos seios de adolescente!! Gotas de pr� semem continuavam sendo despejadas em meu colo, lubrificando mais ainda nossa fric��o e deixando um brilhoso rastro por onde aquela cobra deslizava!! Sentindo que seu orgasmo estava pr�ximo, v� Bruno se levantou de meu torso, eu ent�o surpresa, segurei sua vara e fui aproximando meus l�bios daquela cabe�ona arroxeada, n�o querendo deix�-lo escapar! Cheguei at� dar um tremendo chup�o na ponta da glande, por�m meu ozinho disse que eu ainda n�o estava preparada para praticar uma perfeita chupa��o nele e pediu para eu me virar de bru�os!! Meus desejos seriam realizados!! Meu maravilhoso av� iria saborear meu cuzinho guloso!! Iria fazer de mim sua segunda f�mea!! Ele seria o dono dos cuzinhos da m�e e da filhinha!! Bruno, corneava o pr�prio filho dentro de casa e agora �a tornar a filhinha de seu filho em sua f�mea! Eu seria sua neta amante, sua amante putinha!! Involuntariamente, talvez por instinto, espalmei minhas m�os em ambas bandas de minha buchechuda n�degas, separando-as o m�ximo e expondo meu solzinho rosado para uso e abuso de meu macho, meu vozinho! Em segundos eu estaria desmaiando de gozo quando das primeiras pinceladas da ponta da l�ngua dele em meu cuzinho!!Quando ele conseguiu introduzir um pouco mais da l�ngua no meu anus, eu apaguei!! (continua)

1 Comentário para “A Ninfeta e o Cinquentão I”

  1. jose Says:
    Ha grande avo……

Deixe Um Comentário

WP-SpamFree by Pole Position Marketing