Contos Verídicos no Face
Publicidade
Produtos Originais
Categorias

Antes do Crossdress

Disque sexo

Conto enviado por: Pedrita

A maioria dos contos, que encontramos na internet, ou são frutos da imaginação ou fantasiados para o que realmente desejamos, alguns são pura invenção, outros mesmo sendo verídicos, foram fantasiados pelos desejos de quem escreve…….

Eu gosto muito de escrever contos sobre minhas aventuras, mas é dificil não incluir no conto alguns desejos não realizados, porque só nos contos é que nos realizamos verdadeiramente, nós crossdressers sonhamos muito mais do que realizamos, pois poucas de nós são assumidas, e nem todas nós somos tão lindas e corajosas quanto a Betinha… entre uma aventura e outra, entre um conto e outro, vamos levando nossa vida.

 

É claro que quando conhecemos alguém, através de bate-papos pela internet, que também costumam ler contos e gostam de apimentar uma fantasia, fica mais fácil realizar alguma fantasia ou situação, do que uma pessoa que conhecemos num barzinho….

E foi assim, através da internet, que conheci o Paulo, ele era um leitor habitual de contos, e num dos contos que escrevi ele deixou um comentário, e ainda me mandou um e-mail, perguntando se tudo que eu havia relatado aconteceu de verdade, claro respondi que boa parte dos acontecimentos foram fantasiados… e assim começamos a nos corresponder, até que um dia ele sugeriu de nos encontrarmos, o que realmente aconteceu, foi no Mcdonalds da av bandeirantes ….. não é lindo??????

Eu cheguei primeiro, ansioso que era, ele chegou logo depois, impossível não notar, pois ele era alto, fortão, gordo, grandão mesmo (o encontro só deu certo porque ele se descreveu como grandão, senão eu teria fugido, homem baixinho … bláááá!!!!), estava de calça jeans, camisa azul, óculos escuros, passou os olhos pelo ambiente e sorriu ao cruzar com o meu olhar, é incrível como esses caras conseguem nos identificar só pelo olhar, ele foi ao caixa e comprou batatas fritas e guaraná, levou para a mesa, se sentou e abriu o maior sorriso, dizendo… aceita?

Conversamos por meia hora, apenas amenidades, pois o local estava meio cheio, mas ninguém reparava na gente, falou do trabalho, que morava no jabaquara, falei do meu trabalho, que morava na lapa, mais um monte de pequenas bobagens, então ele me convidou para conhecer sua casa, tomamos o guaraná e deixamos metade das batatas, e o segui ao estacionamento. Fomos conversando mais abertamente durante o trajeto, contei minhas experiências e minhas fantasias, ele me contou as dele, falou que eu escrevia bem, e queria saber se eu realmente iria a fundo numa transa, se eu seria tão submisso e obediente quando escrevia … olhei para ele e sorri, dizendo,  … bom para ser submisso e obediente, depende do macho, é o macho que conquista e submete a fêmea. Falei que gosto de tudo, mas não de sadismo, não gosto de apanhar, gosto de ser convencido, um pouquinho de força tudo bem, mas apanhar e sofrer não dá …..

Ele concordou e disse, então, que devíamos experimentar, pois ele gostava de um sexo mais forte, com pegada e gostava de medir forças, e ele se sentia mais atraído por um homem resistente, aquele que não se entrega facilmente e coisas assim ….. e eu também era alto, forte(eu tenho 1,85m e 85kg), ele não entendia porque eu gostava de ser passivo, pois eu aparentava ser bem forte, tive que explicar que eu não fui sempre passivo, até perto dos 30 anos, só saía com mulheres, casei, separei, minha primeira vez como passivo foi com uma travesti, e só depois de algum tempo tomei gosto pela coisa (rsrrsrsrs …. pela pica né?)…. aí um dia, saí com um homem, eu ainda não sabia o que era crossdresser e nunca tinha experimentado, e foi com ele, que tive minhas primeiras experiências, num monte de coisas, minha primeira calcinha, primeiro batom, primeira depilação, e foi ele, que foi me convencendo, me fazendo desabrochar, ele dizia, que o homem certo, me faria virar fêmea dele,  e quando eu experimentasse, viraria viado para sempre, e aquele homem soube fazer, me transformou em bichinha, que morria de vontades por um pinto…. estávamos nessa conversa quando chegamos na casa dele, era uma casa grande, assobradada, e com uma garagem na frente, os portões se abriram ele entrou e os portões se fecharam.

Eu sabia, que se chegasse até ali, o que iria ser, só não sabia se seria gostoso ou não, perto um do outro, ele era pouco mais alto, mas era grandão, braços fortes, barriga grande, parecia em forma, mas sem exagero, então pela garagem entramos numa sala, e depois numa outra, onde se via uma esteira, uma maca (dessas de massagem), vários almofadões num canto da parede, uma mesa cheia de potes e pequenas toalhas… era o seu cantinho onde ele gostava de ficar … ali ele deve ter levado inúmeros parceiros … ele fechou a porta, virou-se para mim e me puxou para um abraço bem forte, então olhou nos meus olhos e me beijou ….. com força, me tirando o folego e me abraçava ao mesmo tempo … quando paramos de nos beijar … ele me olhando diretamente começou a me despir … fiz o mesmo com ele e em poucos minutos estávamos os dois nus, voltamos a nos beijar e ele acariciava meu corpo com suas mãos, fortes e grossas, mas a sensação era muito boa … ele não teria muito trabalho, pois eu estava deixando me levar e esperava que ele realmente me dominasse por inteiro….

Ele me deitou e eu me ajeitei na maca, ele trouxe alguns potes para o chão e começou a me massagear, foi muito bom, relaxante, em determinado momento ele concentrou-se no meu ânus, me deixando lubrificado e morrendo de tesão, senti seus dedos me conhecendo, desbravando meu cuzinho, até que ele alcançou a próstata e massageou profundamente, e aquilo me deu um tesão incontrolável, não consegui controlar os espasmos, soltei gritinhos e gozei, mas ele continuou me massageando, foi tudo tão rápido, me senti envergonhado por ter gozado tão rápido, mas ele começou tudo de novo, e quando senti meu pinto começar a endurecer, ele parou…. colocou algumas almofadas por baixo de mim, afastou minhas pernas e montou sobre mim, senti seu pau a procura do meu cuzinho, e ao mesmo tempo que ele iniciava a penetração eu dava uma reboladinha para ajudar, ele foi enfiando calmamente, bem devagar, carinhosamente, afagava meus cabelos e me mordia o pescoço, e continuou enfiando, tudo, bem devagar, até que senti suas coxas em minha bunda, eu estava totalmente preenchido, sentia a pica daquele homem pulsando dentro de mim, sua pica era grossa e grande, eu estava deliciado, então ele começou um vaivém gostosa, devagar, calmo, e quando enfiava ia de uma vez, depois tirava devagarinho, e enfiava com tudo, eu sentia suas bolas me tocando, ele naquele ritmo tranquilo, foi me deixando com tesão novamente, então senti que ia gozar de novo, avisei e ele aumentou o ritmo, ambos estávamos empapados de suor, então senti, um jato quente, demorado, e gozei ao mesmo tempo que ele enchia meu cu de porra, porra quentinha, grossa …..então ele se deixou cair sobre mim…. e ficamos ali, em silencio, só curtindo, por um tempinho, nem nos movemos, até que ele falou …. vamos nos lavar ….

No banho, ele me lavou todinho e eu a ele, nos recostamos sobre os almofadões e começamos a conversar, ele me puxou para mais perto e nos beijamos, esse modo de beijar eu nunca esqueci, era um beijo forte, quente, sua língua invadia me boca me tirando o folego, encostei minha cabeça em seu peito e com a mão direita procurei seu pau para acariciar, ele disse que já tinha sido casado, mas logo depois se separou, disse que sua preferência eram homens, e procurou assumir desde cedo, sempre gostou de homens franzinos, delicados, mas às vezes gostava de medir forças com homens que se diziam ativos, e comeu quase todos, ele disse que era uma questão de persuadir, convencer e se impor, um dos machos vai ceder, é uma questão de tempo, perguntei se ele queria me ver vestido de calcinha, ele disse que não, queria me me ver dominado como macho, me transformando em viadinho, eu disse que já tinha acabado de ser viado para ele, ao que ele respondeu …. haahhh isso foi pouco, quero mais ….. e levou meu rosto até seu pau, e me fez chupá-lo, fui chupando e engolindo aquele pau grosso e lambendo sua cabeça vermelha e redonda, seu pau era lindo, não muito comprido, mas bem grosso, a cabeça linda, vermelha para fora (era circuncidado), lambia sua babinha, ele já estava endurecendo, já não cabia inteiro em minha boca, seus pelos bem aparados, cheiroso, lambia e engolia suas bolas, ela gemia, cada vez que eu engolia seu pau, fazendo chegar na minha garganta … perguntei se ele queria me comer … mas ele disse que não, que queria gozar em minha boca, me mandou continuar, e eu ora lambia, ora engolia, seu pau já estava bem duro agora, a babinha salgada, escorria em maior quantidade, seu pinto cheiroso, aquele vaivém em minha boca, fechei os olhos e procurei sentir seu pau todo em minha boca, lambia, chupava, lambia seu saco, engolia as bolas, até que seus gemidos ficaram mais fortes, ele tentava pegar minha cabeça, mas eu não deixava, suas pernas se esticavam, ele queria que eu aumentasse o ritmo, mas ia bem devagar, engolia toda sua pica e voltava devagar, pressionando seu pau com meus lábios, tomei muito cuidado para não arranhar com meus dentes, ele tentava se dobrar e eu não deixava, montei em sua barriga e virei minha bunda para ele, ele pe apertava as pernas, mordeu minha bunda várias vezes, mas eu não deixava se pinto em paz, com o peso das minhas pernas eu não deixava ele se virar, e continuava chupando, engolia sua pica de uma vez e soltava bem devagar, lambia a cabeça e a babinha e engolia de novo, ele já se remexia muito, seu corpo chegava a se erguer do chão, seu pinto estava duríssimo, eu sabia que ele estava prestes a gozar, eu fiz o possível para judiar dele, com o peso das minhas pernas continuava forçando o peito dele para trás e com as mãos não deixava ele erguer os joelhos, eu já estava suando muito, sentia sinais de cansaço pelo força que fazia, ele estava completamente empapado de suor, gemia alto agora, eu apertava seu pau com lábios, fazendo pressão logo abaixo da cabeça, então pressenti….. sua pica engrossou de repente, a força que ele fazia para erguer a pélvis era grande, ele gritou e então  fui inundado com um esporro tão forte, quente, salgado, grosso, sua cintura se erguia do chão e desabava, ele continuava esporrando, engoli grande parte, senti o gosto na língua, escorreu grande parte, estava com o rosto lambuzado, tinha espirros de porra no pescoço e no peito, me ergui e fui deitar minha cabeça em seu peito, que arfava muito forte, ele nada disse, pensei que ele fosse me beijar, mas ele apenas acariciou minha cabeça e ficamos assim, eu recostado em seu peito e acariciando seus mamilos com a mão direita, estávamos banhados em suor, respiração ofegante, foram muitos minutos para nos acalmar ……

Então, após tomarmos outro banho, ele saiu para buscar alguma coisa… voltou alguns minutos depois e disse assim, vá até o banheiro, deixei algumas coisas lá, acho que você vai gostar … olhei para ele e o beijei, fui até o banheiro, vi algumas roupas dobradas sobre a tampa do vaso, no lavatório encontrei um creme hidratante e um batom, gostei muito, então me vesti, calcinha (tipo biquíni que amarra dos lados) e blusinha cor de rosa, meias pretas 7/8, passei o creme nas pernas, nos braços, rosto e peito, usei o batom, e nessas horas que eu gostaria de ter uma peruca, mas, tudo bem ….. pelo menos eu estava lisinho, lisinho ……..voltei à sala … ele me esperava de pé, ao lado do banheiro… sorriu e me beijou, aahhhhhh esse beijo …. tudo de bom … me levou pela mão e me deitou, falou que eu realmente parecia uma bichinha, muito bonita, deitou sobre mim, e me beijou de novo, e começamos o nos esfregar, ele caiu de lado e me levou junto, olhávamos intensamente um ao outro, então ele se posicionou sobre mim, abriu minhas pernas e desamarrou a calcinha, eu olhava para ele, ansiosamente, ele era cuidadoso, a cada movimento parava e me beijava, me olhava e dizia que queria me comer olhando nos olhos, queria ver o que eu sentiria, sendo penetrada por ele, enquanto falava ele lubrificou meu cuzinho, delicadamente, e senti quando ele encostou a cabeça de sua pica na minha portinha, ele começou a forçar a entrada, doeu um pouco, estava dolorido pela primeira trepada, ele forçou mais uma vez, soltei um gemido abafado, ele sorriu e senti a cabeça de seu pau dentro de mim, eu segurava as suas pernas, para que ele não fosse de uma vez, ele foi forçando, devagar, bem devagar, seu pinto era grosso, grande, eu sentia sua penetração, cada veia de sua pica grossa e quente, entrando em meu corpo, me possuindo, me penetrando, ele tentava alcançar minha boca e isso forçava mais ainda a penetração, eu gemia bastante agora, estava totalmente a mercê dele, estava gostando, mas doía um pouco, então, ele fez mais uma tentativa, entrou tudo, eu senti, levantei meu pescoço procurando sua boca, nos beijamos calmamente, ele foi jogando o corpo sobre mim, suspirei e gemi ao mesmo tempo, senti meu cu totalmente alargado, estava suando, pedi para ele esperar eu me acostumar, ele disse sim, a dor foi diminuindo, eu me enrosquei em seu pescoço, com minhas pernas enlacei sua cintura e disse … vem ..meu macho, meu macho querido, vem toma sua bichinha que sou sua, vem, vem …… então ele começou um vaivém, bem devagar, ele tirava com calma e enfiava um pouco mais rápido, e foi aumentando, aumentando, eu sentia perfeitamente toda sua pica, me preenchia totalmente, sentia suas veias pulsando dentro do meu cu, e pedia mais, ele aumentava o ritmo, eu não desgrudava do pescoço dele, ele aumentava o ritmo, nos beijávamos, ele sinalizou que iria gozar, apertei minhas pernas empurrando meu cu de encontro ao corpo dele, para que ele enfiasse sua pica o mais profundamente que pudesse, eu gemia, ele tremia convulsivamente, então ele deu as últimas estocadas, fortes, sentia sua pélvis em minha bunda, então um calor tomou conta de mim, sentia seu pau despejando uma porra quente dentro de mim, ele continuava bombando, e mais porra entrando, ele me beijou e agora sentia as contrações,  e aos poucos ele foi se acalmando, e nos viramos de lado, um de frente para o outro, eu me sentia totalmente satisfeita, arrumei a blusinha e me aninhei no peito dele …… cochilamos um pouquinho depois …….

Depois desse dia, nos encontramos muitas vezes, então, um belo dia, ele atendeu o celular na minha frente e falou com alguém por quase uma hora, sua expressão era de grande felicidade, ele estava exultante, era um convite que ele esperava há muito tempo …. uma grande empresa do sul o chamou para dirigir uma fábrica …. dois meses depois nos despedimos … e perdemos o contato …. faz muitos anos e ambos trocamos de celular e de números e nunca mais nos vimos ….. mas eu nunca mais esqueci aquele beijo …..

Pedrita
apedrito007@hotmail.com

Deixe Um Comentário

WP-SpamFree by Pole Position Marketing