Contos Verídicos no Face
Disque Sexo
Disque Sexo
Categorias

Com a comadre, esposa, compadre…Etc

Disque sexo

Conto enviado por: Bnove

Saímos noite dessa, pra dançar, convite de ultima hora, sem muito ânimo, mas fomos, a mulher já declarando indisposição etc…

a esposa amiga, tambem com cara de poucos amigos. Meu amigo animado. Chegamos no Santa Republica, clube de dança..

até a musica parecia não muito animada. Mas passa algum tempo,  minha mulher me convidou pra dançar, respondi.. depois…

meu amigo inanimado convidou a esposa dele e ela disse depois tá… ficamos ali, mais ouvindo musica.

Então meu amigo animado, convidou minha mulher, vamos dançar, esses dois estão enferrujados….. ela topou, era musica’

animada, solta. Eu e minha amiga ( comadre ), ficamos ali curtindo, logo em seguida veio musica bem lenta, eles continuaram

a dançar, a dançar, após umas 4 musicas, estavam bem coladinhos… minha comadre só olhando e não falou nada…

vieram para a mesa, deu pra notar bem, muito bem, o compadre tinha calça de tecido, e o pau estava bem duro, a marca era

muito vísivel, até a comadre viu e não falou nada, minha mulher muito certinha, tb não deu motivo algum para o assunto.

Após uma pausa, a comadre me convidou para dançar com ela, fui….abracei normalmente, corpos levemente se tocando…

a musica, as luzes diminuem, lentamente a comadre cola o corpo no meu, aperta meu pescoço, eu fiquei surpresa, chegou a  secar a minha garganta,

terminou a musica e esperamos a próxima bem abraçadinhos.

Olhei para um lado do salão e vi a minha esposa, dançando novamente, e me deu até um calorão, rebolando, e se esfregando

no pau do compadre. Meu deu um pouco de ciúmes, e o meu pau tb ficou duro, a comadre quase se soltou, e voltou a se

grudar em mim. Ai assumi, apertei ela bem gostoso, curti o grande decote na parte de tras do vestido, ia até a barra da

calcinha dela. Passei suavemente a mão nas costas dela, até tocar na barra da calcinha, e rapidamente toquei  o dedo e senti  a lycra da calcinha, ela tremeu…e se afastou…..

disfarçou e me convidou a sentar-se a mesa. Fomos, ficamos quietos olhando para a pista…. lá estava o compadre dançando grudado na minha mulher, a luz estava mais clara, fiquei puto da vida, imaginando, o compadre de pau duro, esfregando na minha mulher e eu com a comadre, sentados feitos bobos. A minha mulher fingia estar séria, mas estava gostando, pois estava dependurada nele. Curtindo o pau duro no meio das coxas, tenho certeza que já estava molhadinha.

Comentei com a comadre, o compadre está animado…. ela me olhou e disse… demais…. vamos dançar, eu pensei vai ser um saco, pois estava de bico comigo…

Antes a ficar vendo o compadre, quase transando com a minha séria e pacata esposa, pensei é melhor ir dançar e ver menos. Fomos….

Chegando ao centro da pista, começou um série do Bee Gees, levei os braços bem desanimados, ela me olhou, não falou nada, me abraçou forte, não forcei meu braço que iria contornar a sua costa, então ela soltou um braço dela,  contornou até tocar na minha mão, puxou no sentido de aperta-la, bem como, foi baixando a minha mão, por aquele maravilhoso decote costal, até chegar próximo da sua bunda, e fez com que minha tocasse na sua calcinha…. e voltou a contornar o meu pescoço, as luzes diminuíram, e minha mão subia e descia pela sua costas, e lógico descia, tocava na calcinha de lycra ( adoro lycra, me deixa louco mesmo ), senti a respiração no meu ouvido,,, era demais…. meu pau latejava de duro, estava a ponto de gozar….. quando

Percebemos, estávamos sendo observados pelos dois, a minha mulher e o compadre, sentados na mesa. A comadre ficou meio desconcertada, e me levou para a mesa….chegou lá, beijou o compadre, sentou-se ao lado dele, abraçou………………….

A minha mulher sentou-se ao meu lado, colocou a mão sobre a minha perna, que estava cruzada, veio descendo até tocar no meu pau, que ficou duro na hora, passou a mão de leve nele,  quando olhei para baixo, a danada estava com a outra mão na perna do compadre, me deu um gelo na espinha, imaginei a comadre pode encrencar,,, que nada, ela observou, colocou a mão dela sobre a mão da minha esposa e arrastou até o pau do compadre e sorriu maliciosamente, o compadre realizado. Rimos, então o compadre puxou minha mulher pro meio do salão para dançar. A comadre sentou-se ao meu lado, encostou a cabeça no meu ombro, e com a mão alisava minha perna, bem perto do meu pau, que queria explodir de duro….levemente empurrei a mão dela para cima do meu pau, ela resistiu, me olhou maliciosamente, me deu um selinho, bem de leve, e apertou meu pau pra valer, doeu mas foi legal mesmo.

Resolvemos pagar a conta e sair do clube de dança, saímos tudo certinho, cada Sr.  Com a sua Sra. De mão dada. Quando fomos entrar no  meu carro, a minha mulher abriu a porta da frente e convidou a comadre, entre e se comporte ( ao meu lado ), e sentou-se atrás. Graças que o carro tem insu-film,  a comadre sentou e o vestido subiua tal ponto que via a calcinha branca apareceu. E a cada poste que passamos, entrava e saia o feixe de luz, então permitia aquela visão maravilhosa. A comadre fica virada para trás e rindo, quando ajustei o retrovisor, qual foi o meu espanto, o compadre abraçado com a minha esposa, alisando suavemente os peitos. ela com a a cara de que nada estava acontecendo. Minha comadre só alisava minha perna, chegave bem perto do cacete e voltava. Então veio o convite, vamos subir no apê ( deles ), …….uma pausa, concordei. Subimos,  sozinhos, sem filhos, então, mais uma garrafa de vinho, tudo calmo. A comadre abraça o compadre, se esfrega e beija bem forte. Minha esposa  me olha e fica quieta. O compadre a minha esposa puxa para junto deles, se abraçam e solta a comadre e abraça forte a minha esposa, que reage um pouco, nessa ação o seu vestido “ tomara-que-caia” vermelho, desce um pouco e realça o bico do seio, já bem duro, o maldito compadre imediatamente beija o seio, a minha esposa solta um gemido, até para mim foi estranho,  e abraçou e se beijaram na boca. Eu e a comadre ficamos olhando, não era previsto o que acontecia na nossa presença. Me abraçou por trás, mordeu meu pescoço e me levou para o quarto do casal, nos beijamos com o maior tesão ( revanche ), era nossa primeira vez, apertei seus seios, arrebentei dois botões do vestido e antes que o destruísse,  ela tirou, ficou só de calcinha branca de lycra, se ajoelhou, abaixou minha calça e a cueca juntos, agarrou minhas bolas, e me chupou forte, engoliu tudo, fiquei louco…. a comadre deitou-se na cama, e fizemos um 69, muito legal, ela sabe chupar suavemente, até trifásico a danada fez, o tesão era demais. Me virou e me beijou todo o meu corpo, e sentou no meu pau, o tesão era muito grande, gozamos muito legal, muito gostoso. Descansamos, ela deitada sobre mim, me beijava suavemente.

Esquecemos dos dois na sala, levantamos pelados ela  me abraçou e fomos até a sala, na ponta dos pés e minha esposa e o compadre ainda transavam. Ela de quatro e ele enfiava com muita vontade, ela gemia feito louca, nunca tinha visto. Então ele gozou forte ela gemia e se contorcia e gozava forte. Quando terminaram, nos viram, olhando, ficamos todos meio sem jeito, mas tudo bem. O quatro pelados na sala, senti o novo tesão pela minha mulher.

Então, nos vestimos, beijei suavemente a comadre, ele fez o mesmo com a minha esposa e fomos embora.

No caminho, não falamos nada a respeito. Chegando em casa, tomei banho e esposa já estava deitada, começou a me chupar e transamos muito legal.

Foi a noite muito especial, inesquecível.

2 Comentários para “Com a comadre, esposa, compadre…Etc”

  1. Carlos Says:
    O realismo é o ponto forte. Gostei.
    Abraços.
    Carlos
  2. João Says:
    Amigo adorei seu conto, show de bola mesmo me mande mais contos darquesjr@hotmail.com

Deixe Um Comentário

WP-SpamFree by Pole Position Marketing