Contos Verídicos no Face
Aumente teu Pênis
Faça Sucesso
Categorias

Comemoração de Formatura

Disque sexo

Meu nome � Andr�, sou do Rio de Janeiro, tenho vinte e cinco anos, e em janeiro do ano passado eu consegui finalmente me formar na faculdade. Depois de quase cinco anos de curso e in�meras dificuldades, consegui o que parecia imposs�vel. Para comemorar a fa�anha, nada melhor do que curtir com os amigos em um bom lugar. Chamei dois amigos meus da faculdade, Gustavo e Filipe Augusto, que sempre adoraram uma sacanagem. Escolhemos uma boate famosa no centro da cidade e fomos at� l� com toda a disposi��o do mundo, al�m de uma boa grana acumulada. A inten��o era fazer a melhor noitada das nossas vidas, pois a situa��o merecia uma comemora��o muito especial.

Chegamos l� por volta das nove da noite e n�o demorou para que algumas mulheres se aproximassem de n�s. Pedimos bebidas e rapidamente cada um de n�s j� estava com uma mulher. A que ficou comigo chamava-se Mariana. Era uma morena alta maravilhosa, com peitos grandes e coxas grossas que combinavam perfeitamente com a silhueta gostosa e a barriguinha sarada. Mariana tinha uns olhos verdes lind�ssimos e logo eu j� estava agarrando aquele monumento. As mulheres que estavam com meus amigos tamb�m eram espetaculares e eu n�o sabia mais para onde olhar, com o pau duro de rasgar a cal�a. Quando as car�cias tornaram-se mais atrevidas, explicamos para elas a nossa situa��o e elas sorriram e falaram que a gente podia ir para um dos quartos da boate, feito s� para essas “festinhas”. A gente mandou que chamassem mais duas, para que a sacanagem ficasse ainda mais apimentada. Mariana me puxou pela m�o e me fez subir atr�s dela por uma escada estreita, que dava acesso a um corredor igualmente apertado, iluminado apenas por uma fraca luz vermelha. A entrada do quarto era grande e Mariana abriu a porta com estronto, revelando um imenso aposento, como um quarto de motel, muito limpo e muito arrumado, com espelhos por todos os lados e at� no teto. Al�m das grandes camas ao redor (mostrando que o lugar havia sido realmente feito para orgias), havia no centro do lugar um pequeno palco circular, com aquela barra de metal no meio e efeitos de luz.

Mariana nos pediu que as esper�ssemos l� e saiu com as outras duas, sorrindo delicadamente. Cada um de n�s sentou em uma cama separada, e tiramos nossas roupas. Quer�amos estar bem relaxados para assisistir o show. De repente, as luzes se apagaram e somente a ilumina��o do palco foi acesa. Uma m�sica suave e sensual come�ou a tocar. Uma loura lind�ssima (a que estava com Filipe Augusto l� embaixo) subiu no palco com movimentos l�nguidos, lan�ando olhares tesudos para n�s tr�s. “Que profissionalismo!”, eu pensei. A loura tamb�m era alta e estava vestindo uma camisola branca, transparente e rendada. Por baixo, um conjunto de calcinha e suti� igualmente branco e min�sculo. A loura come�ou a dan�ar da forma mais sacana poss�vel, exibindo com gosto os dotes que a natureza deu. Abriu a camisola lentamente e eu j� n�o conseguia parar de bater punheta, mesmo sabendo que tinha que “economizar” para fod�-las depois. Quando a camisola foi ao ch�o, pude ver como ela era gostosa: um par de peitos gigantescos e duros estavam l�, sacundindo ao sabor da m�sica er�tica. Com a cintura fina e quadris largos, a loura rebolativa virou para n�s a bunda espetacular e foi abrindo o suti� como s� as profissionais sabem fazer. Olhei para meus amigos e eles tamb�m estavam babando como eu. Quando ela virou, eu pude ver os seios lindos e tive que me segurar para n�o gozar.

Quando eu achei que a loura iria tirar a calcinha, ela fez um sinal com a m�o para Mariana, que estava parada junto ao palco, vestindo apenas uma calcinha vermelha de puta. Quando ela subiu no palco, pude ver o quanto era gostosa a mulher com a qual eu estava agarrando l� embaixo. Mariana se aproximou da loura e a beijou na boca, dando um abra�o daqueles que encostam tudo. Elas se esfregaram diante de nosso olhar abismado e foram tirando lentamente a calcinha uma da outra. A loura tinha os pentelhos dourados como os cabelos da cabe�a, que cobriam com perfei��o a boceta de l�bios rosados e grandes. Mariana tinha uma boceta totalmente depilada, de testa larga e grelo saliente. Elas continuaram se beijando e se esfregando, at� que as outras tr�s tamb�m subiram no palco, j� totalmente nuas e se agarrando como nem na minha mais louca fantasia sexual eu havia imaginado.

Agora as cinco estavam em uma verdadeira orgia l�sbica, numa confus�o de bundas e peitos magn�ficos, sendo tocados e acariciados. Uma incr�vel sucess�o de bocetas sendo dedadas e lambidas, deixando-nos totalmente rendidos diante de tanto tes�o. N�o ag�entando mais o tes�o, ordenei que o espet�culo fosse interrompido para que n�s pud�ssemos fod�-las. N�s tr�s fomos para uma cama enorme que havia no canto do quarto e as putas vieram come�ar o servi�o. Mariana e uma outra loura vieram para cima de mim simultaneamente e eu tratei de meter logo uma m�o em cada boceta, dedando bem fundo. Elas gemeram e pegaram no meu pau, punhetando juntas. Ca� de boca na primeira teta que vi e senti uma boca gostosa engolindo meu pau. Uma chupeta espetacular me fez ver estrelas enquanto eu lambia a gostosa que estava perto de mim. Vi Filipe Augusto e Gustavo curtindo com as outras, fodendo-as como loucos. Deitei Mariana com a barriga para cima, fiquei sobre ela e meti bem fundo a minha vara naquela boceta gostosa, bombando bem forte. Sa� pegando em tudo que � bunda e peito que se apresentava na minha frente, chupando o que podia. Nunca fodi tanto na minha vida: trocava de boceta o tempo todo, dando ordens para as putas ficarem de quatro, rebolarem, cavalgarem… Foi uma noite realmente inesquec�vel, uma comemora��o e tanto, e n�o consigo imaginar nada que pudesse ser melhor. Botava as putas de quatro e as fodia no cu, mandando elas chuparem meus amigos. Elas gemiam muito n�s tr�s comemos muito todas elas. Na hora de gozar, descarreguei muita porra na cara de Mariana, que foi quase que imediatamente lambida por suas amigas. Ver as putas se lambendo e se chupando foi quase t�o bom quanto com�-las.

Fodemos por quase quatro horas. Depois disso, exaustos, n�s tomamos um banho e as mandamos embora. Pagamos uma conta alt�ssima na sa�da da boate, mas com certeza foi uma grana bem gasta, porque valeu muito a pena. Gustavo se casou logo depois desse dia, mas sempre que posso eu volto �quele lugar com meu amigo Filipe Augusto, pedindo sempre duas ou tr�s putas al�m de Mariana, que se tornou nossa predileta.

Deixe Um Comentário

WP-SpamFree by Pole Position Marketing