Contos Verídicos no Face
Aumente teu Pênis
Faça Sucesso
Categorias

Enrabando a santinha no meio da rua

Disque sexo

Conto enviado por: B.O.

Oi, para quem não me conhece sou o hto olhos cor de mel,sou moreno claro, 1.70cm,61 quilos, não sou do tipo bombado mas tenho o corpo sarado e bem definido.Sinceramente não me acho nenhum galã,sou um cara normal, hoje tenho 23 anos.Meu interesse pelo sexo começou quando eu ainda era bem pequeno (7 anos).Meus pais saíram para uma festa e me deixaram  na vizinha para que ela cuidasse de mim.Na casa dela só havia 1 quarto onde ela me colocou para dormir.

No meio da noite acordei ouvindo barulhos estranhos era minha vizinha que na época devia ter uns 20 anos, ela tava toda arreganhada  num coxão no chão com um cara plantando-lhe o caralho.Eu fingia está dormindo e eles não perceberam nada continuaram transando por um bom tempo e eu só espiando,não entendia bem o que estava vendo mas mesmo assim senti um certo tesão vendo aquilo tudo.No dia seguinte contei tudo o que vi para meu pai e o pior contei tudo na frente da vizinha e quando ela ouviu deu um sorriso cínico e falou essas crianças imaginam cada coisa.Meu pai não acreditou numa palavra do que eu disse mas tudo bem, voltando ao assunto, desde o dia em que vi aquilo tudo fiquei meio pervertido e para minha sorte as mulheres sempre me deram mole,acho que devo ter alguma coisa que chama a atenção do sexo oposto, não sei o que é, mas seja o que for ta dando resultado.Bom o que vou relatar aqui ocorreu quando eu tinha 17 anos. Hoje eu voltei para Brasília, mas na época eu morava com meu pai em Belém do Pará.  (Caros leitores, sei que em toda cidade existe putaria, mas não se compara a putaria da região norte e nordeste do país, lá as mulheres dão só pra ver o pau entrar , rs…) Bom, voltando ao conto.Lembro-me que na época eu tava ficando com umas meninas da escola mas nada além de beijos e mão boba até que chegou um feriadão que iria mudar tudo.Minha madrasta queria viajar para a casa de seus pais que fica numa cidade no interior do Pará, ela me convidou, mas  não me empolguei muito, entretanto resolvi ir para respirar novos ares.Chegamos na cidade dia 25 de março e dia 26 teria uma festa.O irmão mais novo da minha madrasta me chamou para irmos a festa,ele disse que lá ia ter muita gatinha e iria ser bem animado,resolvi ir para ver o que acontecia.Chegando lá tive que concordar com meu amigo pois ele não havia exagerado em nada.Deu um tempinho e uma menina que por sinal era gatinha foi conversar com meu amigo e ele logo veio me informar que aquela menina tava a fim de mim.Meu amigo me descreveu a menina como uma garota recatada que saía de casa raramente e que era desejada por muitos naquela cidade,inclusive ela tinha um rolinho com um filho de um fazendeiro rico da cidade.Fiquei triste em saber que ela era recatada e em saber que corria o risco de enfurecer o mandachuva do local  mas não reclamei pois a menina realmente não era de se jogar fora e no dia seguinte eu já estaria indo embora da cidade ,evitando assim problemas com o filho do fazendeiro.No final da festa eu encontrei a Linda moça,fomos a um lugar mais reservado (casa abandonada próxima a mini boate em que estávamos) e começamos a nos beijar .Pude sentir o gosto de bebida em sua boca o que não me agradou muito já que não curto cerveja, no entanto aquele problema era pequeno perto daquela menina linda de 1,68cm, cabelos castanhos claros uma bunda arrebitada que era realçada por uma calça apertada,seios querendo pular para fora da blusa e olhos que quando me olhavam  pareciam  enxergar minha alma.O clima estava quente e eu já começava a gostar do negócio. Eu passava a mão em suas costas enquanto a beijava, ora metia a mão no meio daquela bunda e fazia um movimento como se fosse abrir o rabão dela,ora  passava a mão por cima de sua calça procurando sua xota, ela pedia mais, estava meio alta devido a bebida.Nesse clima de pegação escuto uma pergunta que me deixa perplexo:

-você só põe a língua dentro da boca das meninas que fica.

De imediato eu respondi:

-Por que? Você quer que eu ponha outra coisa na sua boca(falei isso já abrindo o ziper da minha calça)

Ela respondeu que poderia até ser, mas tinha que ser num lugar onde não houvesse nenhum trânsito de pessoas, aquele local realmente não era adequado, pois o pessoal que ia embora da festa passava bem em frente à casa abandonada, (a casa só tinha algumas paredes permitindo que algumas pessoas pudessem ver o que fazíamos).Daí ela me levou para o campo de futebol da cidade que ficava perto da festa.(Lugar completamente deserto).Nós nos sentamos na arquibancada e ela começou a me pagar um boquete fenomenal, metia a cabeça da minha pica até a garganta e depois tirava sugava a cabecinha do meu pau e voltava a engolir ele todo,fazia isso por um tempo e depois parava para cuspir no pau e em seguida iniciava todo o ritual, (a menina tinha pinta de que já tinha chupado muita rola por aí ) ficamos assim por um bom tempo e eu me segurei para não gozar. Quando senti que iria gozar não falei nada, só esperei pra ver a reação dela. Fiquei surpreso, ela não parou de mamar em nenhum momento, só parou após deixar a cabeça da minha vara bem limpinha. Aquilo me atiçou muito, tanto que mal tinha acabado de gozar e já estava pronto pra outra.Falei que iria come-la, mas contrariando minhas expectativas ela disse que não, pois era virgem e tinha um namoradinho que estava curtindo o feriado fora da cidadezinha (filho do fazendeiro e corno também  x ]  ) Não desisti, disse que ela não podia me deixar daquele jeito e que queria é que o filho do fazendeiro se fudesse, já que ela não iria liberar a buceta, prepara o rabo pra levar uma enrabada. Ela não aceitou, então dei um tiro de misericórdia e pedi pra  levá-la até sua casa, dessa forma eu teria mais tempo para tentar algo (fomos a pé, cidade pequena tudo é perto de tudo).Chegando lá, vi que a casa ficava em um beco, o local estava deserto e aí eu dei a idéia de ficarmos atrás de um arbusto que tinha próximo ao muro da rua dela. (O arbusto ficava no fim do beco, deixando um bom espaço para ficarmos sem sermos vistos.) Lhe puxei contra sua vontade até atrás do arbusto e lhe pedi um último beijo. Ela me atendeu, nesse instante me esforcei para acender o fogo dela de novo. Quando vi que ela estava excitada falei:

-Que tal terminar o que demos início.

Cuspi na mão e comecei a tocar uma siririca caprichada nela. Quando ela tava no auge do tesão eu virei ela de costa fazendo com que apóia-se os braços no muro e puxei sua cintura de forma que ela ficou com aquele rabo bem empinado. Comecei a roçar meu pau por cima da roupa naquela bunda enorme. Minha vara tava dura feito ferro. Sem pedir eu abaixei as calças dela, lhe deixando só de calcinha, tirei meu pau pra fora e comecei a bater meu pau contra aquelas nádegas branquinhas, batia com força chega fazia barulho. Sua respiração já estava alta e eu a ponto de gozar por cima da calcinha dela. Eu tinha de tomar uma atitude. Baixei sua calcinha e lhe ordenei a deixar meu pau bem molhado, após isso comecei a pincelar a cabeça do pau naquele cuzinho rosado.

Nesse momento ela fez uma voz meio que de choro e falou:

-Só tenho 16 anos nunca fiz isso vai doer muito e se der alguma coisa errada.

Respondi que não precisava se preocupar, que eu ia meter bem devagar e que ela só precisava relaxar. Dito isso abri aquele bundão dela com minhas mãos, quando fiz isso vi aquela bucetinha apertadinha, não pude me conter, comecei a passar a língua de leve naquela xota. Tava com um cheiro tão bom,lambia e lambia, passava a língua pelos grandes lábios, depois passei a beijar a buceta dela como se fosse uma boca, as pernas dela tremiam,era lindo aquilo, ela parecia estar no céu. Chupei até uma hora que ela pediu pra parar porque estava bom demais. Após isso deixei meu dedo indicador bem molhado e fui introduzindo de leve naquele cu, ela não fazia nenhum barulho e ficava imóvel parecia que nem era com ela, achei engraçado aquilo, eu sentia que ela queria ser enrabada,mas ao mesmo tempo estava com medo de doer, no final nem ela sabia o que queria, só que eu sabia, sabia que queria enrabar ela como se fosse uma puta.Quando o cu dela ficou relaxado com 1 dedo molhei outro e soquei 2 dedos no rabo dela, tirava e colocava bem devagar. O tesão já me consumia, coloquei uma camisinha e comecei a penetrar aquele anel lindo. Entrava com dificuldade e ela resmungava baixinho palavras indecifráveis. Resolvi então afrouxar mais aquele cu colocando 3 dedos dentro dela, aí sim consegui entrar com o pau todo dentro. Esperei o cu  se acostumar com a vara e depois comecei o vai e vem bem devagar, fui aumentando o ritmo aos poucos e quando dei por mim, estava enrabando ela com violência, apertava com as mãos a bunda dela que parecia que eu queria arrancar fora as carnes daquelas nádegas. Ela só fechava a boca com as mãos e gemia baixinho. Era excitante enrabar uma gostosa desconhecida em frente a casa dela no meio da rua. Não sei quanto tempo fiquei enrabando aquela putinha, a excitação faz com que se perca a noção do tempo. Após um bom tempo encarcando aquela safada minha respiração acelerou , escutava uma voz de cadela pedindo mais e mais, estávamos tão suados que parecia que tínhamos tomado banho e não tínhamos nos enxugado, então finalmente eu gozei um gozo profundo, acho que foi um rio de gozo, estou exagerando, mas foi tanta porra que fiquei com medo de a camisinha estourar. Dentro de mim eu senti uma raiva porque sabia que nunca mais iria comê-la, talvez nunca mais se quer a encontrasse, então resolvi fazer algo diferente. Tirei a camisinha e despejei o gozo todo na bunda dela, percebi que ela não gostou, mas não disse nada, ela vestiu a calça com o rabo todo melado de porra e me agradeceu a noite. Confessou que gostou da enrabada que dei nela. Na hora de nos despedirmos ela tirou um anel do dedo e me deu pra que eu me lembrasse dela sempre que o visse. Feito isso ela foi pra casa mancando um pouco e fingindo que nada tinha acontecido.

Moral da história, o filho do fazendeiro é corno, eu enrabei  a santinha no meio da rua e além de comer seu anel ainda ganhei outro de recordação , rs….

Que bom seria se todas as meninas recatadas fossem assim.

Mulheres que quiserem conversar via MSN ou email, é só me add. Beijo na buceta de todas e abraço pros amigos leitores.Fui

Meu MSN é htoolhoscordemel@hotmail.com

4 Comentários para “Enrabando a santinha no meio da rua”

  1. Ryan Skiter Says:
    Adorei o conto muito excitante, so que tem que respeitar o corno e nao chigar ele coitado , tem que comer e ficar calado nao tocar no nome dele.
  2. Amanda Says:
    Nossa, senti o cu arder quando li o seu conto. Que aventura viu! Deixa o corno de lado mesmo… hehe
    beijo gato.
  3. anonima Says:
    puta q exitaçao estou com um dedo la dentro da xana ah…quero mto ser comida ah… da mto prazer? na minha 1 vez quero q meu namorado me arrombe atras e na frente ah delicia um puta pau pra mim chupar ate minha boca ficar roxa!
  4. Renato Says:
    Gostei do conto, muito excitante, confesso que até imaginei essa garota e me masturbei pensando nela. Rsrsrsrs!!!

Deixe Um Comentário

WP-SpamFree by Pole Position Marketing