Lavando o carro

Essa história aconteceu em um sábado quente. Meus pais estavam prontos para irem ao supermercado e na volta passariam na casa de uns amigos. Antes de sair, meu pai pediu para que eu aproveitasse o dia e lavasse o carro que iria ficar (nós temos dois carros).Concordei desde que meu irmãozinho fosse junto com eles, assim não teria ninguém para me incomodar. Meu pai aceitou e disse que iriam demorar. Ao sairem comecei a pegar o que eu precisaria quando a minha amiga (Catarina) chegou de surpresa. Pedi que se sentasse e expliquei que estava prestes a lavar o carro. Então pedi um minuto a ela e fui me trocar. Quando voltei estava com um micro short e um tope tão pequeno que nem se podia considerar como roupa. Pude ver no semblante de Catarina que ela havia ficado disnumbrada com o meu corpo. Tentei disfarçar, pois nunca havia tido nenhuma experiência com mulheres antes, então enquanto lavava o carro conversava sobre outros assuntos. Como ela estava sentada no degrau da porta, ela ficava com uma visão panoramica da minha bunda, que dalí a poucos instantes estaria na boca dela. Toda a vez que eu precisava me abaixar eu sentia aqueles olhos gulosos me perseguindo. As vezes, enquato eu abria e manuseava a mangueira, alguns pingos de aguá com terra a atingiam, então eu pedia desculpas e dizia que depois que eu terminasse ela poderia se lavar. Então quando eu terminei de lavor o carro, convidei para que ela entrasse no banheiro e se sentasse para conversarmos enquanto eu tomava um banho e depois ela tomaria um banho. Quando tirei minha roupa vi os olhos dela insinuantes brilharem e minha boca enchei de água, mais tive medo e vergonha e fingi que nada estava acontecendo. Entri rapidamente no box, quando percebi ela entrando tambem. Me assustei um pouco mais logo em seguida estava toda molhadinha em ver aqueles peitos apetitosos na minha frente. Ela pediu parra que eu virasse de costas para me ensaboar. Sentia as maos dela nas minhas costas e a minha bucetinha ficava cada vez mais lubrificada, então abri as pernas. Ela deixou a água escorrer aonde estava o sabão e começou a beijar as minhas costas e a minha nunca. Comecei a gemer só de imaginar o que viria depois. Então virei e ela me beijou como se ouvesse esperado anos por aquele momento. Então aquela boquinha safada foi deslisando pelo meu pescoço a procura dos meis peitos, que quando achados, foram chupados com voracidade. Ela lambia eles e dava pequenas e delicadas mordidinhas nos bicos, o que me deixava com cada vez mais tesão. Então ela foi escorregando aqueles lábios engenhosos pela minha barriga e a minha sensação era de cada vez mais prazer. A essa altura eu já estava implorando para que ela enfiasse aquela língua gostosa todinha na ninha xoxota, mais ela ainda me castigou por alguns minutos, passando a lamber minhas pernas e minhas coxas, as quais ela disse ter ficado muito sensuais no shortinho. Então após alguns minitos de expectativa ela pedui para que eu desligasse o chuveiro, virasse novamente de costas e ficasse de quatro. Prontamente atendi e pude sentir aque língua maravilhosa percorrendo todo o meu cú. Ela o lambia com vorcidade, e quanto mais ela lambia, mais eu queria que ela lambesse.Ao mesmo tempo ela acariciava minha xaninha com aquelas mãos macias o que fazia com que eu gemesse cada vez mais de tanto prazer. Seus dedos tocavam o meu grelinho e o acariciava numa forma indescritivel de prazer. Ela continuava lambendo o meu cú quando enfiou o 1º dedo bem no fundo da minha buceta. Eu gemia e implorava para não parar. Então ela enfiou outro e eu rebolava sobre aquela mão safada. Quando ela enfiou o terceiro gozei pela primeira vez. Após alguns minutos ela pediu que eu virasse de frente. Então me beijou novamente e dislisou até a minha xaninha. Começou a lamber de uma forma que menhum homem jamais havia lambido. Aquela língua passava por cada cantinho do grandes e dos pequequenos lábios da minha buceta, e eu gemia cada vez mais alta. A língua dela subia e decia e era delicioso. Ela fazia movientos de sobe e desce, movimentos circulares, horas rápidos e horas devagarinho e parecia que ela não queria mais parar, o que eu estava adorando. Minha xoxota estava coberta com a saliva daquela boca gulosa, quando ela pediu que eu a chamasse de vadia, e foi o que eu fiz e que que ela é… uma deliciosa vadia chupadora de buceta da melhor qualidade. Aquela putinha estava me levando a loucura. Quanto eu mais a chingava mais ela me lambia como forma de agradecimento. Pude ver novamente os olhos dela brilharem quando a chamei de cadela lambedoura, e ela me retribuiu com uma leve puxadinha com os dentes no meu grelinho o que me deixou mais ainda lubrificada. De repente ela parou e se levantou para apanhar alguma coisa. Fiquei na expectativa em ver o que era, quando me surpreendi: ela arrandou o Chuveirinho (aquela mangueirinha que é acoplada no chuveiro) e a doboru em duas. Voltou a me chupar e daí enfiou aquela mangueirinha dobrada no meu cuzinho. Minha bucetinha estava toda lambidinha quando senti que novamente iria gozar. Era exatamente o que aquela biscatinha queria de mim: que eu gozasse gostoso na boca dela. Então gozeu com tanta vontade que jamais pude me esquecer. Logo após terminamos o banho e fomos para o meu quarto. Para se vestir… bem, não exatamente…para mais sexo, o que vou ontinuar contando em outra oportunidade.

Deixe Um Comentário

WP-SpamFree by Pole Position Marketing