Marido corno Manso

Olá caros amigos leitores. Estou aqui para contar uma história real muito loucas e gostosa. Meu nome é Klebes, sou separado, tenho 32 anos, sou moreno e vivo constantemente a procura de bucetas. Sempre procurei atacar as mais gostosas e solteiras por onde ando e nas baladas que vou e as putas que me arisco a comer. Moro num condomínio que tem poucas mulheres solteiras, a maioria das mulheres são casadas e mães de família. Pensei que neste pasto nunca ia dar nada, pois as mulheres têm um comportamento muito familiar e nunca pareciam procurar aventuras extras, além da vigilância e da possível perseguição dos maridos. Mas para minha surpresa pintou algo e muito gostoso, arrumei uma casada santa que virou minha puta particular. Nas minhas olhadas e investidas discretas apareceu a Lucia, uma mulher casada, fiel, mãe de duas crianças, com 38 anos, morena e muito gostosa. A Lúcia sempre descia do apto. para levar as filhas dela na perua escolar. Era sempre à tarde e neste momento eu ficava em baixo próximo ao local da sua passagem porque eu trabalho à noite em regime de plantão de 12×36 e à tarde ficava dando um descanso em baixo. Comecei a ver ela passar direto para levar as crianças e depois ia para a academia com uma calça de ginástica colada na bunda e uma camiseta que não cobria tudo. Como eu ficava bem próximo da passagem, via bem em detalhe a racha da buceta dela na calça de ginástica. Sempre cumprimentei e fazia um olhar de graça para ela. Comentei dela e deste fato de modo discreto a outro vizinho solteiro e ele me disse que ela deveria ser muito difícil porque era séria, religiosa e mãe, mas que sabia que o marido dela era meio viado e que ela já tinha pegado ele com outro cara, não tinha certeza mas era um boato que corria. Sabendo desta história resolvi montar um plano e atacar. Foi conversar com o marido dela e buscar detalhes da fala do povo. O cara não assumiu que era gay mas demonstrou um comportamento de que gostava da coisa. Fiz questão de não demonstrar que a mulher dele não nos visse e não soubesse da nossa amizade. Comecei a perguntar a ele se as mulheres casadas cediam fácil e insinuei que uma certa mulher do prédio, que não sabia quem era, mas que era a dele tava dando bola para mim. Investi na amizade e confessei que tava doidão pela mulher dele, a Lúcia, mas demonstrei que não sabia que a Lúcia era mulher dele, fiz isto para ver o comportamento dele. Perguntei como fazer para comer aquela mulher, disse que queria comer ela, que queria socar aquela buceta carnuda que aparecia saliente pela calça de ginástica. Ele fez também que não sabia, aí eu insisti que queria comer ela, os viados ficam doidos de tesão quando alguém quer comer a mulher deles, pedi ajuda dele, como que eu poderia comê-la e ele me deu algumas dicas, disse para eu tentar, ia ser difícil porque ela era muito séria, mas que seu eu tentasse poderia conseguir porque ela vivia sem rola e se eu conseguisse seduzir ela e fizesse com que ela pegasse no meu pau aí a coisa ia. Aproveitei a dica e pedi, como quem não sabia, para que ele tentasse falar com ela ou com o marido para que não transassem para ela ficar doida e cair na minha. Fui conversando com ele e dando em cima dela, sabia que não ia ter oposição do marido, comecei a ficar atrevido, a dizer que ela era bonita, que tinha um corpo muito sensual com a ginástica, dizia que ela tinha um corpo maravilhoso e no começo ela ficou meio sem graça, mas depois foi cedendo e começando a achar graça. Perguntei para o marido dela e ele como um corno manso me disse que ficou sabendo que ela já estava há uns dois meses sem rola. Sabendo disso, quando ela voltou da ginástica um dia, convidei-a para tomar uma champanhe gelada no meu apto porque um dia ela me disse que adorava champanhe. No começo ela resistiu, mas eu insisti e ela foi, foi com a própria roupa da ginástica, disse que estava com pressa, tava a camiseta por cima, mas quando ela sentou deu para ver as vergas da buceta, abri a champanhe ela bebeu uma taça, disse que estava louco pela beleza dela e pelas pernas lindas dela ela ficou meio sem graça e com vergonha, desconversou e foi embora, mas disse que depois conversaria com mais calma porque tinha que atender as crianças. Voltei a falar com o marido dela, contei a aventura, ele ficou com cara de quem gostou e me disse para quando eu tentar de novo dizer que queria comer a buceta dela, aquela coisa fofa, enfiar bem gostoso e molhar dentro. Não deu outra, convidei ela de novo para ir em casa, agora para minhas novidades no orkut, porque ela disse que vivia no orkut, e ela aceitou e foi, mostrei as novidades e fui para cima dela, com elegância, dizendo as coisas mais bonitas que uma mulher carente e sem rola gosta de ouvir, ela foi de novo com a roupinha gostosa dela, com aquela buceta querendo se abrir, já doida pela minha rola, mas continuava com medo e resistia aos meus afagos, aí segui a orientação do marido, abri o jogo e falei o queria mesmo, disse: Eu estou louco para comer essa tua buceta linda, quero por dentro dela, quero enfiar gostoso e quero molhar lá dentro, aí ela já começou a ceder aos meus encostos e já começou até a dar pequenos gemidos, fui fundo e passei a mão naquela buceta, esfreguei o dedo dentro do rasgo da buceta e massageei à vontade e ela ficou gemendo legal, fui baixar a calça dela e ela não deixou, disse que não podia, mas continuei esfregando aquela buceta que tava toda molhada e peguei a mão dela e encostei no meu pau por dentro da calça e ela pegou o meu pau com vontade e esfregou o quanto quis também. Foi embora, não consegui comer a buceta mas a coisa já tava engatinhada. Chamei ela de novo para ir em casa e convidei e falei para ela ir com o marido. Eles foram, montei um plano, deixei o marido vendo no quarto vendo umas fotos de viagem e comecei a atacar ela na sala, ela foi de vestido, tava querendo, mas ela resistia pela presença do marido, mas eu fui incisivo, quero comer essa buceta agora se não eu vou contar para ele e fui atacando ela, esfregando aquela buceta e ela já estava gemendo de novo aí o marido entra na sala e vê cena dela com a bunda encostada no meu pau e eu esfregando a buceta da mulher. Ele vem por trás e pergunta o que é aquilo, ela fica sem graça e eu respondo que eu queria comer aquela buceta e peguei a mão dela enfiei na minha calça para ela pegar no meu pau e o marido dela perguntou, amor você vai deixar ele comer a tua bucetinha e ela respondeu, aí amor você deixa eu estou com vontade de um pau grande, você deixa, e ele respondeu deixo amor. Ela abriu minha calça, tirou meu pau da cueca e começou a esfregar ele com vontade e dizia, aí amor que pau forte e duro ele é gostoso, e ia esfregando. Eu sentei no sofá e ela começou a chupar o meu pau, ficou de joelho no chão e chupava o meu pau com vontade, enquanto isso o marido dela tirou a calcinha dela e começou a chupar a buceta dela, foi uma loucura, ela enfiava o meu pau inteiro na boca, chupava minhas bolas, daqui a pouco ela subiu no sofá, ficou de quatro e pediu rola na buceta e eu soquei com vontade, o marido dela ficou beijando ela e eu enfiando na buceta e jorrei com vontade e ela começou a latir de prazer e o marido beijando ela, daqui a pouco ela sai do meu pau se senta ao lado do marido e começa a beijar ele, era um love só e ela começou a enfiar a mão na buceta e tirar os litros de esperma que eu soquei na buceta, colocava na boca do marido e se beijam de modo apaixonado, foi quase toda a porra, ela tirava punha na boca do marido e se beijavam loucamente até acabar tudo. Depois foram embora, mas a história continua e depois eu conto os novos episódios. Tchau colegas. Gozem à vontade.

Deixe Um Comentário

WP-SpamFree by Pole Position Marketing