Contos Verídicos no Face
Publicidade
Produtos Originais
Categorias

Meu amigo me descobriu e me comeu 02

Disque sexo

Bom, vou aqui relatar mais uma aventura que me aconteceu, dando continuidade ao conto anterior. Quem não leu o anterior, eu sugiro que leia, caso contrário ficará complicado entender o que vou escrever agora.

Me chamo Douglas, tenho 21 anos e tive meu segredo descoberto por Fulano. Depois daquele dia, continuamos a conversar naturalmente, sem mencionar nada do ocorrido. A semana estava passando, o final de semana estava chegando, e os meus amigos estavam planejando fazer uma janta para se juntar e falar besteira. Tudo combinado, saímos e como era esperado a janta ocorreu tranquilamente. A gente havia se passado um pouco no horário, eram em torno de 01:00 da madrugada já, assim sendo, eu não teria como voltar pra casa porque não havia mais ônibus nesse horário.

Fulano sabendo disso, prontamente me perguntou se não queria dormir na casa dele esta noite, obviamente eu já pude perceber as intenções dele sem precisar muito esforço. Nos despedimos e fomos para o carro dele, ele morava a uns 15min do local da janta. Ao sairmos ele me deu uma olhada, abriu o cinto, desabotoou a calça, abaixou o zíper e colocou o cacete, ainda mole, pra fora e falou:

Fulano: É todo seu.

Dei uma olhada em volta, as ruas estavam desertas, e o carro também tinha uma película bem escura, então não teria problemas. Peguei no pau dele e coloquei todo na boca, só mole pra eu conseguir tamanha façanha. Comecei uma deliciosa chupeta naquele pau lindo, não demorou muito e ele já começava a ficar duro feito aço, mal cabendo na minha boca. Enquanto chupava, também batia uma punhetinha de leve e alternava entre chupar um pouco a cabeça, lamber ele todo e por fim voltava a mamar com vigor. Tinha momentos que ele pegava e forçava minha cabeça contra o pau dele e me fazia engasgar, mas a sensação de engasgar naquele cacete era boa demais. Quando chegamos ao prédio dele, ele ainda não havia gozado, mas dava pra perceber que não faltava muito. Assim ele estacionou o carro na garagem, que estava bem escura, pegou minha cabeça com as duas mãos e começou a foder a minha boca com muita força e vontade, logo falando:

Fulano: Engole tudo que eu não quero sujar o carro.

Sabia que seria difícil, pois ele gozava demais. Segundos após ele falar começou os fortes jatos de porra a jorrar na minha garganta. Ele forçava bastante minha cabeça contra o caralho dele, eu estava conseguindo engolir tudo, mas ele não parava de gozar nunca, mesmo assim consegui engolir tudo com muita dificuldade. Apenas escorreu alguma coisinha pelo canto da minha boca, mas não o suficiente para sujar algo. Limpei a boca, ele guardou a ferramenta e assim saímos do carro para subirmos ao apartamento dele. Chegamos e fomos direto para o seu quarto, hoje a sua mãe e irmã estavam em casa, mas ambas estavam dormindo já. Ele tirou as calças e ficou apenas de cueca, camiseta e meias. Dava pra notar seu pau meio duro ainda na cueca, uma delícia. Sentou-se no PC para ver as mensagens do MSN e os arquivos que havia baixado, logo em seguida virou-se pra mim e fez sinal pro pau. Eu como putinha dedicada atendi prontamente o pedido, comecei acariciando e chupando o cacete dele ainda por cima da cueca, não demorou muito e aquele caralho lindo já estava muito duro, sedento por um cu. Tirei sua cueca e comecei a chupá-lo com muita vontade, colocava tudo o que conseguia na boca, e ainda assim sobrava muito. Enquanto eu mamava, ele se esticou e pegou uma camisinha, o tubo de KY e me entregou, com um sorriso sádico no rosto. Abri a camisinha e coloquei no mastro dele, peguei um pouco de KY e comecei a passar em todo o pau dele, batendo uma gostosa punheta. Comecei a me despir, fiquei só de camiseta e meias, peguei mais um pouco de KY e comecei a lubrificar meu cu, dessa vez consegui colocar três dedos com certa facilidade, poderia colocar até mais forçando um pouco. Com o cu devidamente lubrificado, ele mandou que eu apoiasse as mãos na mesa do PC e arrebitasse a bunda, fiquei em posição e ele começou a vir por trás. Mirou o cacete no meu rabo e forçou, dessa vez entrou de primeira, deu uma leve dor e ele parou por alguns instantes. Passado alguns minutos ele começou a enfiar cada centímetro no meu cu, mesmo já tendo levado aquele ferro no cu uma vez, não foi tão mais fácil. Quando chegou naquele ponto crítico, ele deu uma esperada e socou com tudo como na outra vez, a dor foi bem mais branda, mas doeu bastante igual. Agora, com todo o caralho atolado no meu cu, com as bolas encostando nas minhas, ele deu uma esperada, pra eu me acostumar com o volume. Não demorou muito ele começou a bombar no meu rabo, começou num ritmo lento e foi acelerando, acelerando, até que eu já estava delirando, em alguns momentos ele retirava tudo e colocava tudo de volta logo em seguida com força. A sensação de ter um macho metendo um enorme caralho em ti é deliciosa. Ele ficou um bom tempo metendo, eu estava em transe, quando eu senti ele dar uma leve acelerada e tirar o pau do meu cu, me virou de frente pra ele e me deixou de joelhos, tirou a camisinha e começou e gozar na minha cara, era porra que não acabava mais, nem parecia que já havia gozado uma vez. Com tamanho tesão, mal eu toquei no meu pau e comecei a gozar também. No fim fiquei com a cara toda gozada, e quando ele terminou começou a esfregar o cacete no meu rosto pra espalhar o gozo, dando algumas batidas com ele também e dizendo:

Fulano: Toma seu viadinho, puta tem que levar porra na cara.

Depois eu fui lavar o rosto e me ajeitar pra dormir, ele tomou um banho e foi dormir também, ambos exaustos.

Essa é mais uma das várias aventuras que tive com ele. Continuarei escrevendo, espero que tenham gostado, e assim, se possível, votem no conto.

Deixe Um Comentário

WP-SpamFree by Pole Position Marketing