Contos Verídicos no Face
Publicidade
Produtos Originais
Categorias

Meu primeiro boquete

Disque sexo

Ol, este meu primeiro texto, e para comeo de conversa no citarei nomes nele, a fim de preservar a minha intimidade e de meu namorado, afinal. Sabem-se l quem os l. Bem, tenho olhos verdes, cabelos castanho claro, seios fartos e pele branca. Ele tambm branquelo dos olhos verdes e alto. Muitos falam que parecemos irmos, mas no, este no um conto sobre incesto.

Num final de semana, estvamos em minha casa, quando meus pais anunciaram que iriam at a casa de minha av, eu disse para eles que ns dois iramos mais tarde. Aps eles sarem, eu e meu namorado comeamos a nos pegar como de costume, mo vai, mo vem, beijo aqui, ali, etc. At que disse:Vamos pro meu quarto? ele meio sem jeito respondeu que sim.

Quando chegamos, ele sentou beira de minha cama, envolvi-o com minhas pernas e comecei a me esfregar nele, cujo pnis quela hora j estava bem duro. Continuei me esfregando enquanto ele pegava nos meus seios, o que me fazia gemer loucamente.

Ento, nos deitamos e continuamos a nos acariciar, s que enquanto trocvamos beijos ardentes e palavras cheias de sacanagem, eu dava maior ateno a aquele pau duro, tanto que, num momento ele abriu as calas e tirou o cinto, o que deu para ver sua cueca preta que contrastava com sua pele branca e aquele volume tentador. No me contive e coloquei a mo por baixo dela, e nossa, ns somos virgens (por falta de lugar para uma foda tranqila) e eu nunca havia chegado perto de um pau antes, ainda mais ereto, estava adorando aquilo, ele crescia, latejava, e meu namorado l, arfando de teso.

Eis que ele resolve abaixar as calas e deixar aquele pau duro mostra, eu fiquei doida com aquilo, grosso, grande, fiquei maravilhada at com as veias visivelmente cheias, e ele se divertia com a minha cara de espanto perante aquilo tudo. Cheguei um pouco mais perto e comecei a punhet-lo, brincava com seu saco, olhava com olhos gulosos. At que perguntei se poderia chup-lo, ele perguntou se eu estava pronta, disse que sim, s que no saberia se iria ser a melhor coisa do mundo. Respirei fundo de ca de boca naquele caralho grosso, fui lambendo a cabea e aquilo crescia ainda mais na minha boquinha virgem, nunca havia chupado um pau antes e descobri que era timo, lambia, chupava, beijava, as vezes parava para soltar um gemido e nessas paradas disse: Isso uma delcia! ele riu, e eu voltei a chupar com gosto.

At a hora que meus pais ligaram dizendo que estavam para voltar, ento tivemos que parar, nos vestir e arrumar a cama. Mas ainda sim, morro de vontade de que ele goze na minha boca, para eu sentir o gosto de sua porra.

Ento, esse foi meu primeiro conto, (verdico por sinal) e sim, ele ficou meio curtinho, mas outros viro e vocs ainda iro ficar sabendo de muitas outras brincadeiras nossas.

5 Comentários para “Meu primeiro boquete”

  1. paulo Says:
    Da proxima vez conte como foi que ele comeu seu cuzinho safada
  2. henrique Says:
    Fico imaginando essa boquinha branca engolindo todo omeu pau, bati uma punheta imaginando como voce …gostosa
  3. orlando Says:
    A forma de escrever ou descrever um momento de prazer torna unico cada um dos contos eroticos… independentemente dos floreados que se usam no escrever do conto.

    Ler… aprende-se.
    orlando

  4. Josemar Says:
    Conte para ns como foi a primeira no anal.
  5. MSAN Says:
    Eu tinha um namoradinho que a gente se amassava sem tirar a roupa, um dia ele estava de calção de jogar futebol e eu meti a mão por baixo e peguei no saco e no pau dele. Ele gozou e lambuzou a minha mão. Noutros dias tirava o pau dele para fora e brincava até ele gozar. Até que um dia revolvi chupar a a cabeça do pau dele (grande e roxa. Depois de umas chupadinhas, sem me dizer nada ele gozou na minha boca, quase me afoguei com aquela porra quentinha e salgadinha. Enguli tudinho. Viciei. Assim me mantive virgem só fazendo boquete. Hoje sou casada, mas não dispenso um boquete antes de dar a buceta.

Deixe Um Comentário

WP-SpamFree by Pole Position Marketing