Ninfeta Quente

Enviado por: E.J.

Olá
Meu nome é Eduardo e o que lhes relatar a seguir se passou comigo no fim do ano passado. Sou casadoe minha esposa é um poço de ciumes, trabalho em uma empresa de cursos profissionalizantes que funciona em 3 turnos. Sou um dos diretores. No trabalho que exerço tenho contato com adolescentes o tempo inteiro. Alguns a conhecem e por isso temem a sua fama. no inicio de dezembro enquanto aguardava o inicio das atividades, uma jovem se aproximou de mim e perguntou “porque sua esposa tem tanto ciumes de você?”.

Dei de ombros e respondi “sei lá, você quer descobrir? e ela “só se for agora”, na bucha, na lata. Fiquei surpreso com sua resposta imediata, pois ela sempre foi uma moça discreta, apesar da fama. É uma bela jovem, magra, baixa, seios medianos, bundinha empinada, rostinho que diz ter bem menos que nos documentos mas bastante rodada pois sua fama é de gostar de sair somente com homens bem mais velhos e casados. Eu partilarmente nunca tinha visto tal coisa. Neste dia minha esposa havia viajado para visitar sua mãe que estava doente (era uma quinta feira) e eu iria de onibus no dia seguinte. Voltando aos fatos, depois que ela disse isto, eu fiquei sem reação. Então perguntei a que horas ela iria sair “por volta das 20:00″. Fiquei esperando por ela em uma esquina próxima e quando ela se aproximou entrou no carro e nos beijamos loucamente ali mesmo. Saimos a procura de um local mais reservado para nós dois e fomo a um dos varios moteis da cidade. Chegando lá, fomos rancando as nossas roupas, e comecei uma gostosa siririca nela e ela começou a se contorcer de prazer e gemer muito alto, escandalosamente alto e teve o seu primeiro gozo ali mesmo, nos meus dedos. Como haviamos trabalhado o dia inteiro, o cheiro de suor invadiu o ambiente e dessa forma, antes de continuarmos fomos tomar uma banho, juntos. Comecei a encoxá-la e ela começou a gemer de tesão ali mesmo. Volt amos para a cama e comecei a chupar a sua bucetinha pequenininha e neste momento ela começou a implorar para que metesse minha rola nela mas eu continuei a chupá-la com cada vez mais volupiae ela gozou pela segunda vez, agora na minha lingua. Peguei uma dessas bolinhas de oleo lubrificante e colequei no fundo de sua bocetinha e comecei a foda colocando ela de lado e penetrando ela levantando as suas pernas e batendo bem penetrando bem fundo na bucetinha dela. A bolinha então estourou e ficamos os dois melados de oleo. Coloquei ela de quatro e comecei a segunda sessão e ela ja estava indo para o terceiro gozo e eu nada ainda, estava guardando o melhor para o final. Com todo aquele oleo ali propus a ela comer o seu cuzinho. No começo ela não quis mas ai fui amaciando, primeiro massageando e depois enfiando o dedo e ai foi questão de tempo para eu estar comendo um cuzinho virgem. Primeiro bem devagar e depois aumentando o ritmo até uma maneira frenetica e ela gritando feito uma louca. cheguei a pensar que iriam vir pedir para diminuirmos o volume. foi ai que explodimos os dois em gozo, uma verdeiro furacão. Enchi o seu cuzinho com gozo, muito gozo. Já estavamos chegnado às 22:00 hs e ela tinha de ir embora pois o namorado dela iria passar para pegá-la para irem jantar (naquela noite ele iria comer resto rsrsrsrsrs). Depois dessa noite não repitimos a dose ainda mas estou aguardando outra viagem da minha esposa para podermos ir para a serra aqui perto. Ela marca cerrado, pior que zagueiro quando pega só um pra marcar. Assim que tiver novidades eu posto aqui. Valeu.

One Response to “Ninfeta Quente”

  1. sergio brandao Says:
    este conto e legal cara gostei

Leave a Reply

WP-SpamFree by Pole Position Marketing