Contos Verídicos no Face
Aumente teu Pênis
Faça Sucesso
Categorias

Só aguentou porque não viu

Disque sexo

Meu nome é João Henrique. Tenho 20 anos, 1,79 de altura, moreno claro, e tudo aconteceu há um ano. Antes, tenho que falar que tinha certa vergonha de meu pênis, pois, ainda aos 16 anos alguns colegas da escola, me viram mijando no banheiro e começaram a fazer a maior gozação, pois na época não tinha nenhuma noção do tamanho normal de um pênis, só sei que começaram a me chamar de jeguinho, João Tripé e outros apelidos. Sou evangélico e nunca tinha tido ensinamentos do meu pai a respeito do assunto, só sei que a medida do meu pênis é de 25 cm de comprimento por seis cm de grossura e isso não é motivo para comemoração, pois aos 18 anos, conheci uma menina e fiquei super a fim dela e num dia que estávamos no maior amasso, ela pela curiosidade dos meus apelidos, acabou querendo ver o meu pênis e assustou-se com o tamanho e acabou o namorico na hora, não me dando chance nem de tentar nada!

Tudo mudou quando estava num culto em minha igreja e vi, pela primeira vez, a Vanessa. Ela é muito linda, 1,70 de altura, 17 anos, cabelos castanhos bem claros, quase louros, pele branca e olhos verdes; a coisa mais linda do mundo! Foi paixão à primeira vista e o principal é que ela tem uma bunda simplesmente espetacular, bem arrebitada e com um corpo maravilhoso. Eu comecei a conversar com ela sobre assuntos da igreja, e ela na maior boa vontade foi dando ouvidos… Até que a convidei para tomarmos um sorvete quase ao lado e ela aceitou, pois os seus pais iriam ficar conversando com o pastor mais algum tempo. Após esse primeiro contato tivemos mais alguns até que eu percebi que ela tava caidinha por mim e o primeiro beijo foi inevitável… Foi o primeiro beijo dela. A partir daí começamos a namorar e cada dia que passava ficávamos mais apaixonados um pelo outro até que, uns seis meses depois, parecia que estava faltando alguma coisa para completar o nosso amor. Falávamos bastante em casamento, pois tenho emprego estável, um bom salário e fazíamos mil e um planos e ela, na hora que ficávamos numa intimidade maior, falava que queria casar virgem e coisa e tal, mais dava para perceber que quando eu a abraçava bem forte ela ficava toda molinha em meus braços e eu tinha medo de ir adiante e ela assustar-se com o tamanho do meu pau e desistir do namoro. Tudo começou quando estávamos em sua casa, pois na frente da casa tem um jardim com algumas árvores altas e, como o muro era bem alto ficávamos namorando lá sem ninguém incomodar; pois o lugar era meio escuro e os pais dela confiavam muito em mim e na filha, mas naquele dia o meu tesão estava a mil por hora e ela estava com um vestidinho um pouco mais curto que o normal; e de um tecido bem fininho… Ela ficou de pé em cima de uma muretinha bem baixinha que circulava uma das árvores e na hora que começamos a beijar, meu pau ficou super duro e como, eu tava com uma calça social também com um tecido super fino, meu pau praticamente colou em sua boceta, fiquei beijando e esfregando bem devagar, para cima e para baixo e ela começou a gemer e dizer para parar e eu não conseguia me descolar dela de jeito nenhum! Chegou uma hora que percebi que ela tava tremendo o corpo e virou-se de uma vez, ficando de costas para mim, dizendo que eu tava indo longe demais. Na hora eu a abracei por trás e disse que não, que eu a amava mais que tudo na vida e jamais faria mal a ela, mas que ela tinha que entender que essas emoções eram muito difíceis de segurar. Ela ficou quietinha com o bumbum bem empinado e eu colado naquela carne e novamente comecei a fazer um movimento de sobe e desce bem devagarzinho, para não assustá-la, e ela novamente foi se soltando em meus braços e percebi que começou um leve rebolado em meu pau! chegou um momento que eu não agüentei mais, fui beijando e dando mordidinhas em sua nuca e pescoço e ainda comecei a apalpar sua barriguinha por cima do vestido e fui puxando ela mais ainda para o meu pau. Ela começou a gemer e eu, cada vez mais, ia esfregando descaradamente meu pau em sua bunda, e numa insanidade sem tamanho, acabei tirando o pau para fora da calça e passei a esfregar em suas nádegas por cima do vestido e depois de algum tempo peguei o pau , abaixei um pouquinho e fui subindo o vestido com a cabeça esfregando em suas coxas, até chegar na popa do bumbum e sentir a sua calçinha. Comecei a passar o pau bem de leve entre as suas nádegas e ia forçando, cada vez com mais força, como se quisesse entrar em seu ânus mesmo com a calçinha impedindo! Eu percebi que ela arrebitou mais ainda o bumbum e acabou abrindo um pouco as pernas e nisso aproveitei e passei a esfregar o pau também em sua bocetinha por cima da calçinha e ela acabou gemendo mais alto ainda, até que não agüentando fui forçando o pau como se fosse entrar em sua bocetinha, esticando ao máximo, o tecido da calçinha! Ela disse que tava doendo e que era para parar, mas já era tarde, pois comecei a gozar muito e lambuzei toda a sua calçinha, bunda e coxas e depois que acabei de gozar ela saiu correndo para dentro de sua casa sem nem olhar para trás. Depois disso, ela ficou meio brava comigo, mas depois de alguns dias estávamos no mesmo lugar e não agüentamos, fizemos igualzinho da vez anterior… Aquilo virou uma rotina era chegar à árvore ela já virava de costas, empinava a bunda e ficava esperando eu erguer o seu vestido e ficar esfregando meu pau nela… Ela não ficava de frente de jeito nenhum para mim e nem pegava no meu pau, como se tivesse vergonha do que estava fazendo… Até que num dia fui esfregar a cabeça do pau na sua bundinha e percebi que a sua calcinha era bem menor que das outras vezes e na esfregação a calcinha ficou totalmente enterrada em sua bunda e também entrou um pouco na bocetinha e senti pela primeira vez a pele de sua bocetinha e também os pelinhos dos grandes lábios. O tesão foi tanto que, quando gozei, cheguei literalmente a lavar toda a sua bunda e a parte descoberta de sua boceta… Depois desse dia ela passou a usar apenas calçinhas bem pequenininhas e eu estava ficando mestre em deixar aquele tecido todo enfiadinho em seu bumbum e cavado em sua boceta… Até que teve um dia que estávamos com tanto tesão que ela acabou deixando eu abaixar um pouco a sua calçinha e esfregar o pau direto no seu bumbum, mas sem esfregar na bocetinha, pois ela tinha medo de engravidar e eu, quando senti aquele cuzinho pela primeira vez, sem nenhuma proteção na cabeça do meu pau, quase gozei, mas consegui me segurar e fui esfregando, esfregando, esfregando… E ela foi ficando cada vez mais arrepiada e empinando o bumbum de encontro ao meu pau, que, aliás, até aquele momento ela nunca tinha visto e nem pegado, só tinha sentido nas esfregações… Eu me afastei um pouquinho e passei bastante cuspe no pau para ficar mais gostoso e fui esfregando e forçando a entradinha e ela sem noção do tamanho que tinha o meu pau e por estar com bastante tesão, foi relaxando e tentando agasalhar ele lá dentro, até que, ajudado pelo cuspe, forcei bastante e acabou entrando a cabeça e ela deu um grito e ficou na ponta dos pés tirando a cabeça de dentro e eu pacientemente fiquei com a cabeça bem encostada na entradinha do seu cuzinho forçando bem para cima e ela começou a cansar as pernas e começou a descer sua bunda de encontro ao meu pau e o seu cuzinho foi engolindo a cabeça bem devagar… Mas ainda, por duas vezes, ela voltou a ficar nas pontas dos pés tirando de dentro, mas chegou um momento que ela não agüentou o cansaço e colocou os calcanhares no chão deixando finalmente entrar novamente a cabeça e mais um pouco do meu pau dentro de seu cuzinho… Ela na hora começou a gemer de dor e ameaçou tirar novamente, mas peguei-a pela cintura e não deixei, ficando com a cabeça do pau entalada no seu cuzinho e ela pedindo pelo amor de Deus para tirar e eu, no tesão que estava, pedia para ela relaxar um pouquinho que a dor ia passar logo. Fui fazendo movimentos de entra e sai, quase tirando a cabeça e colocando novamente e cada vez ia colocando mais um pouquinho e ela, mesmo, choramingando, ia deixando… E nesse entra e sai ela foi acostumando até que quando eu percebi já tava com quase a metade do pau dentro daquele cuzinho! Ela, as vezes gemia de dor e as vezes ficava quietinha como se quisesse agasalhar mais um pouquinho e eu aproveitava e colocava mais, até que chegou um momento que eu tirava até a cabeça e colocava quase tudo e, como se fosse mágica, o seu cuzinho foi lasseando e ela foi ficando arrepiada e começou a rebolar e jogar a bunda na direção do meu pau e ai perdi o juízo de vez e coloquei todinho dentro, sentido os meus pelos encostarem em suas nádegas e ela começou a arfar e jogar-se para trás e meio que chorando ela foi gozando e rebolando! Na hora que senti aquele cuzinho mordendo o meu pau não agüentei e gozei muito dentro daquele rabo… Gozei tanto que na hora que eu tirei chegou até espirrar porra para fora. Passado alguns dias e aproveitando que estávamos a sós no jardim e não tinha ninguém em casa, ela me confidenciou que seu cuzinho tinha ficado meio aberto por algumas horas, depois da nossa transa e ficou por uns três dias sem poder sentar-se direito, mas que ela não se arrependia de nada e que apesar da dor, tinha sido muito gostoso e falou meio rindo que por estar sarando o seu cuzinho tava dando uma coceirinha insuportável e que às vezes,ela tinha vontade de enfiar alguma coisa lá dentro de tanto que coçava… Aproveitei a sua confissão e acabei mostrando o meu pau para ela e ela na hora não acreditou que tinha agüentado tudo aquilo e ficou pegando nele com devoção, e eu aproveitei e ensinei-a a punhetar, e ela ficou tão empolgada que quase machucou o meu pau. Eu, na hora, disse que para sarar, ela tinha que dar um beijinho, ela disse não, mas fui insistindo e disse que era bem limpinho e com o beijinho sarava mais rápido e ela me olhando com aquele rosto lindo! Devagarzinho, foi aproximando a boca e deu um beijo bem rápido na lateral do pau e eu insisti, pedindo um beijo mais apaixonado, e ela foi, deu um beijo mais demorado e foi colocando aquela língua macia para fora e foi beijando. Após vários beijos bem demorados começou a passar a língua por toda a extensão e, sem que eu esperasse, ela beijou a cabeça e foi colocando dentro da boca… Na hora eu quase gozei de tesão, pois sentir aquela lingüinha passando pela cabeça tava muito gostoso e, depois de alguns minutos, eu pedi para ela parar, pois se não iria encher a sua boquinha de leite… Ela parou e me abraçou bem forte e eu aproveitando a sua fragilidade beijei o seu pescoço e fui descendo com a boca até chegar aos seus seios no que coloquei para fora do vestido… Nossa como são lindos, os bicos são rosadinhos e bem empinadinhos, chupei muito os seus seios e ela quase gozando foi ficando na posição que mais gostávamos, ela com as mãos apoiadas na árvore e eu atrás esfregando meu pau naquela bunda linda… Como estávamos com muito tesão e não tinha ninguém em casa, acabei fazendo uma loucura, tirei o seu vestido e deixei ela peladinha toda entregue aos meus desejos e ai fiz igual à vez anterior, passei bastante cuspe no pau e fui esfregando e ela foi dizendo que tava muito gostoso que tava coçando muito e que era para eu acabar logo com aquela coceira, nisso aproveitei e fui colocando o pau dentro daquele rabo, dessa vez entrou mais fácil até porque ela tava super a fim… Fui colocando devagar, mas só parei quando consegui colocar tudo… Fui bombando bem gostoso e após alguns minutos eu percebi que ela começou a gemer e jogar a bunda de encontro ao meu pau e acabei aproveitando a sua entrega tirei o pau do seu cuzinho e esfreguei na entradinha da sua bocetinha e ela gemeu bem alto… Aproveitei o seu tesão e comecei a colocar o pau todinho no cuzinho tirar e esfregar em sua bocetinha, fiquei fazendo isso por vários minutos até que numa dessas esfregadas, ela não agüentando o tesão começou a forçar para trás tentando engolir o meu pau com a sua bocetinha… Ela ia forçando, tentando se espetar… Mas como meu pau é bem grosso tive que segurar em sua cintura e eu mesmo forçar para dentro… Sua xaninha foi se abrindo e aos poucos foi engolindo meu pau e aí senti um estalo quando a cabeça rompeu o seu cabaço, ela deu um grito e começou a gemer de dor e eu fui colocando bem devagarzinho até encostar o saco nos pelos de sua bocetinha… Fiquei parado para ela se acostumar com o tamanho e a grossura… Após uns dois minutos comecei a por e tirar bem devagar e ela começou a dar uns gemidos. Hora de dor, hora de prazer, mas na hora que estava ficando gostoso, a consciência dela falou mais alto e mesmo sentido prazer o medo de engravidar fez com que ela tirasse o pau de dentro… Eu pedi que deixasse continuar, pois sentaria na cadeira que tava do nosso lado e ela ficaria por cima e, na hora que eu fosse gozar, avisaria e ela levantava de cima… Ela meio a contra gosto acabou aceitando e eu sentei na cadeira e ela veio de frente e sentou no meu pau deixando entrar todinho dentro dela, chegando a forçar o seu útero… Ela, mesmo sentido um pouco de dor, foi subindo e descendo até que eu senti que a sua bocetinha ficou bem molhadinha e começou escorregar mais gostoso… Ela começou a falar que estava muito gostoso, que ia morrer de tanto que estava bom e eu aproveitei e fui chupando os seus seios e segurei as suas nádegas e acabei enfiando dois dedos em seu cuzinho que ainda tava todo arreganhado… E ela foi subindo e descendo e depois de uns 05 minutos eu não agüentando mais falei em seu ouvido que ia gozar e ela disse: – Não pelo amor de Deus… Mas mesmo assim continuou subindo e descendo cada vez mais rápido e eu disse para ela sair rápido de cima que a porra já tava vindo e ela sentou em meu colo até entrar tudo, me abraçou forte e começou a tremer todo o corpo num gozo alucinante e eu não agüentando mais acabei gozando bem lá no fundo de sua boceta, foi um gozo forte, abundante, soltei jatos e jatos de porra dentro dela… Ela ficou meio que desmaiada em meu colo com o pau todo enterrado. Quando ela se recuperou levantou-se e passou a mão em sua boceta e sentiu o estrago e o tanto de porra misturada com sangue que tava saindo, ela foi pegando a porra e espalhando pelos pelinhos da bocetinha e mesmo depois que ela parou de pegar com a mão, a porra continuou saindo de dentro de sua boceta e escorrendo pelas suas pernas… Ela ficou com medo de engravidar, mas graças a Deus nada aconteceu… Hoje estamos de casamento marcado e não posso arriscar, pois além de amar muito ela, foi ela a única que agüentou o meu pau no cuzinho e na bocetinha e acho difícil encontrar outra que agüente.

12 Comentários para “Só aguentou porque não viu”

  1. daniel Says:
    que conto amigo adorei eu tambem sou evangelico mas te confesso que sou muito tarado por sexo
  2. Ric Says:
    Muito bom, mais tem muitas mulheres que são feras nisso e ela demostrou ser uma grande mulher, deve ser linda realmente!
  3. egon Says:
    MARAVILHOSO O CONTO,MUITO TESÃO!!
  4. MEL Says:
    Nossa fiquei com muito tesao lendo sua historia, fiquei imaginando esse pau enorme na minha boca,na minha bucetinha. Seja feliz!!
  5. PAULO Says:
    MUITO BOM GOSTOSO DEMAIS ESTE CONTO
  6. augusto Says:
    Excelente conto, sempre curti sexo entre evangelicos es empre sonhei em ver um ksal assim transando com tesão e respeito ao mesmo tempo. Fiquei muit oexcitado o tamanho de sua rola me causa inveja sim. parabens se quiser me contar mais entre em contato ok

    augusto2929@hotmail.com

  7. Incestuosa Says:
    Adorei, seu conto é muito real e isso nos faz ficar com mais tesao e vontade de conhecer alguem assim. Às vezes nos preocupamos com o tamanho, mas é realmente aceitavel, toda mulher aguenta uma rola grande depende do carinho que recebe e da enrtrega que se faz, amor somado com tesao e vontade, laceia qualquer buceta e qualquer cú. Felicidades para vcs. Na verdade eu já encartei umade 28 cm, mas infelizmente o cara nao era carinhoso, foi so uma vez. o amor supera e aguenta tudo até uma rola dessa. Excelente.
  8. rico Says:
    Melhor conto que já li.
    Minha esposa sonha com um pau dessa grossura. Estou atras de alguém discreto para transarmos juntos e ela se satisfazer, mas, é está difícil. Quando encontrar faço ela chupar tudo. O cara e eu.
    um abraço
  9. morenogvs Says:
    Lindo conto! Me deu um tesão danado que até acabei batendo uma punheta deliciosa! Também adoro as mulheres evangélicas! Gostaria de me corresponder com uma, se tiver alguma aí afim, é só me escrever morenogvs2009@bol.com.br
  10. flor Says:
    adorei demais, voce me deixou com muita tesãooooooo
    a minha xoxota esta toda molhada
    um braço
  11. Gran Finale Says:
    Eu queria aguentar esta tora no meu cu. pois tenho vontade de perder as pregas com um pau grande
  12. jose Says:
    adorei seu conto ate perece real me deu um tesão terrivel tenho vontade de colocar minha mulher encima de de uma pica dessas porque a minha é pequena colocaria ela só para ver ela chora na pica

Deixe Um Comentário

WP-SpamFree by Pole Position Marketing