Contos Verídicos no Face
Publicidade
Produtos Originais
Categorias

Tio sacana

Disque sexo

Acabara de completar 18a e como presente de aniversario meu pai me permitiu que eu fosse para a praia com a familia de meu tio Roberto. Sempre fui um cara muito discreto, bonito, olhos claros, corpo legal, liso, claro na poca eu era totalmente virgem, minhas aventuras sexuais se resumiam em prolongadas punhetas, muitas delas em homenagem ao meu Tio Roberto, em verdadeiro exemplar de macho para passivo nenhum botar defeitos, 45 anos, 1,90a, 90kg, corpo coberto por pelos loiros, barba bem feita, e um grande volume entre suas coxas grossa e musculosas, aos 45 a ele praticava tenis e academia, cultuava o corpo legal. Fomos eu, tio Roberto, Tia clis, sua esposa, e o junior, filho deles de 10a. Ao chegarmos meu tio sugeriu um banho de mar para tirarmos o cansao da viagem, sugesto aceita por todos, na empolgao de trocar logo de roupar, entrei no meu quarto e no tranquei a porta, estava peladinho, debruado sobre minha mochila procurando minha sunga que nem percebi a presena de meu tio observando minha bunda, que modstia a parte muito apetitosa, branquinha, lisinha, empinadinha…Ao v-lo me obsevando me assustei, ele percebendo minha reao me disse que eu tinha uma bundinha de menina, dito isto, comeou a trocar de roupa na minha frente, a viso daquele corpo maravilhoso s foi superada quando ele tirou a cueca, seu pau repolsava sobre um saco enorme coberto de pelos loiros, era grande, grosso, prepcio enorme, daqueles que a gente puxa e descobre a glande, muito bonito, e mole era muito maior do que o meu, do meu pai e dos meus irmos mais velhos, fiquei impressionado e paralisado com aquela viso, s sendo despertado do meu torpor quando tio Roberto me perguntou se estava gostando do seu cacete, gaguejei, tentei achar desculpas, mas no consegui dizer nada, principalmente quando me perguntou se eu j havia visto um pau como aquele, e que tia Clia adorava brincar com ele. O clima estava comeando a esquentar quando chega meu primo pentelho e estraga tudo, meu tio brincou com seu filho, e me olhando maliciosamente, deu uma boa chacoalhada naquele pauso, e comeando a crescer na sua mo o guardou na sunga para o meu desespero.
Os dias passavam e nada, o muto que acontecia eram os olhares maliciosos do meu Tio Roberto e os seus sorrisos sacanas que me deixavam numa grande dvida, ou seja, o que ele querio, ou melhor,o que eu poderia esperar dele?
Bem, a sorte deu uma maozinha, Tia Clia resolveu visitar uns parentes numa cidade prxima, estava no meu quarto me preparando para a pequena viagem quando meu tio entrou e me puxando pelo brao e sussurando no meu ouvido me disse: – Marcinho, inventa uma desculpa para sua tia e fique aqui. Eu ingenuamente lhe perguntei qual a razo da mentira, ele me aperto mais forte e me disse: – No se faa de desentendido seu viadinho gostoso, eu sei muito bem que voce est loquinho para mamar no pau do teu titio aqui, hoje ser sua grande chance de agradar o titio, invente uma desculpa e fique aqui no teu quarto esperando o teu macho, sua putinha gostosa. Fiquei maluco de teso e medo, confesso que quase gozei sem ter feito sexo. Inventei uma desculpar e fiquei, meu tio se prontificou a me fazer companhia e tia Clia, muito contrariada, seguiu para a visita levando o pentelho do meu primo.
Assim que saram corri para o meu quarto, tirei minha roupa ficando s de sunga esperando meu tio gostosinho. No demorou muito e ele entrou no quarto, se jogou sobre mim beijando a minha nuca, passando a barba nas minhas costas, chupou meu cuzinho me fodendo com a lngua, depois passou a enfiar um dedo, dois, trs….Eu gritava de dor e prazer, gozei sem ao menos tocar no meu pau.
Ele se deitou ao meu lado e ordenou que lhe desse um banho de lngua, no esperei segunda ordem, beijei sua boca, senti a sua lngua invadindo minha boca, sua barba roando meu rosto, tirei sua camiseta e me deparei com aquele peito largo, totalmente peludo, chupei seus mamilos, puxei seus pelos com os dentes e fui descendo em direo ao meu instrumento de tantas punhetas. Ao chegar na sua sunga pude ver o quanto ele j estava molhada e melada, chupei o seu caralho por sobre a sunga passando as mos sobre suas coxas grossas. tirei sua sunga com os dentes e o que vi saltar foi um cacete incrivelmente lindo, uns 20cm, grosso, mamaei gostoso por uns 30minutos, enfiava tudo na boca e tirava devagarinho, sentindo os seus pentelhos loiros no queixo, o gosto da sua porra, o cheiro de macho gostoso, ouvia-o gemento alto e mandando engol-lo todo, ele me deitou de lado, colocando a perna direita sobre meu ombro, e, me segurando pela nuca fodeu minha boca com fora, eu quase engasgava, mas a sensao de ter meu tio me deixava maluco de teso, ele acelerou os movimentos, prendeu minhas cabea entre sua coxas e encheu minha boca de porra, quente, branquinha, viscosa e suculenta, tomei todo o seu leite deixando o pauso limpinho pronto para me tirar o cabao. Ele me virou de bruos e na posio de frango assado me penetrou devagar,tentei fugir e ele me deu uns tapas na bunda me mandando ficar quieto, pois iria ser o primeiro a comer o meu cu, e que comeria por bem ou por mal. Doeu demais, mas quando senti o seu saco encostanto na minha bunda foi fantstico, ele deitou sobre meu corpo e pude sentir o seu corpo suado, os seus pelos me aquecendo e o seu cheiro de macho. Ele ficou imvel alguns segundos e o seu pau pulsava dentro de mim. Suas palavras me deixavam louco, ele dizia: -rebola no pau do teu titio, vai, meu viadinho gostoso. No suportando tanto teso supliquei que me fodesse com fora: -me come com fora tio, me enfia esse cacete gostoso, meu macho. Minhas palavras o levaram ao delrio, urrando como um animal no cio ele encher meu cuzinha de porra. Dormimos um pouco, tomamos um banho onde o chupei mais uma vez e gozei gostoso sentindo a porradele sobre meu corpo, era tanta porra que me sentia como se estivesse com o copor coberto de creme, o qual eu lambia e espalhava pelo corpo. Depois deste dia transamos mais algumas vezes em situaes muito arriscadas, sempre que nos encontravamos ele me pedia um boquete, e eu nunca tive coragem de dizer no ao meu macho. Hoje, 10a depois, sou militar, profissional liberal, noivo, inexperiente, boa aparncia e com muto teso e saudades do meu tio que j se foi. Se voce gostaria de ter um sobrinho dedicado, macho, nem um pouco passivo, me escreva, principalmente se tiver as mesmas caractersticas do meu saudodo Tio Roberto. badpitt@bol.com.br

Deixe Um Comentário

WP-SpamFree by Pole Position Marketing